Posted in:

O que faz um agrônomo: o curso, a profissão e as áreas de atuação

Agrônomos trabalhando em um campo com um notebook

Você sabe o que faz um agrônomo e qual o caminho a ser percorrido para se tornar um?

Embora seja uma profissão totalmente ligada à vida no campo, a verdade é que suas atividades podem ser também bastante relacionadas à tecnologia e aos negócios.

Ou seja, esse é um profissional que pode atuar tanto na parte agrária, com cultivo de gêneros alimentícios e criação de animais, quanto na gestão de empresas agrícolas.

Ficou interessado e quer saber mais?

Então, siga na leitura deste artigo!

O que é ser agrônomo?

Trabalhar no ramo da agronomia é uma grande responsabilidade.

Isso porque o agrônomo, hoje, precisa lidar com questões que, há pouco tempo, não entravam na agenda do produtor rural.

É o caso da sustentabilidade, por exemplo.

Por isso, ser agrônomo significa abraçar uma profissão cujo cuidado com a segurança alimentar e bem-estar humano deve ser obtida com respeito ao meio ambiente.

O que faz um agrônomo?

Agrônomo trabalhando em um campo
O que faz um agrônomo?

Um agrônomo, em sentido amplo, é o especialista que cuida do cultivo de gêneros agrícolas, animais para corte, abate ou extração de leite.

Também é ele quem deve zelar pela conservação do solo, sua irrigação, controle de pragas, vetores, controle de qualidade e incremento da fertilidade.

O que faz um engenheiro agrônomo?

Seu ramo de atuação é a agropecuária.

Por se tratar de um setor fundamental e estratégico, é evidente a enorme importância desse especialista até mesmo para desenvolvimento de políticas de estado.

Portanto, o engenheiro agrônomo é indispensável para as empresas em que atua e para o próprio governo.

Basta uma rápida conferida na pauta de exportações brasileira para confirmar isso.

Lá está a soja no primeiro lugar da lista de produtos mais exportados.

Isso sem contar o açúcar da cana, que ocupa um lugar de destaque na lista de commodities mais vendidas para o exterior.

O que faz um técnico em agronomia?

Como a maioria das profissões conferidas por meio de títulos de graduação, a agronomia também pode ser exercida em nível técnico.

Nesse caso, o profissional em questão deve ter formação de nível médio.

Assim sendo, a função de um técnico em agronomia envolve a execução de projetos agropecuários, apoio à gestão, monitoramento de pragas, plantações e áreas de cultivo, entre outras tarefas.

Habilidades de um agrônomo

Sendo uma profissão ligada à área de engenharia, a agronomia exige dos seus especialistas certas habilidades para o bom exercício da atividade.

Entre as mais importantes, estão a capacidade de analisar e interpretar dados, raciocínio lógico e amplo conhecimento dos fatores produtivos.

Deve ser hábil, ainda, em conduzir experimentos, em pesquisar e para tomar decisões com base em dados e números.

Igualmente importante é a habilidade em operar instrumentos, máquinas e equipamentos para medir clima, condições geológicas, do solo e dos animais sob sua responsabilidade.

O curso de agronomia

Agrônomos trabalhando em um campo, com um tablet
O curso de agronomia

O curso de Agronomia da UPIS – Faculdades Integradas acontece no Campus Rural.

Trata-se de uma fazenda de 800 hectares com curral, vitrines vivas, área extensiva de grãos, fruticultura, viveiros e cozinha experimental.

A estrutura é ideal para o desenvolvimento das mais variadas metodologias de ensino, com ênfase na integração teoria e prática.

Os alunos contam também com pomar experimental e estação meteorológica, além de modernos laboratórios de agricultura de precisão via satélite, fisiologia vegetal e fruticultura, botânica e ecologia do cerrado, entre outros.

Essa estrutura permite ao formando estagiar na área de produção e manejo de plantas medicinais e biotecnologia já a partir do primeiro semestre.

Quantos anos?

Como a maioria dos cursos de graduação no Brasil, o bacharelado em agronomia da UPIS pode ser concluído em 4 anos.

No entanto, dependendo da disponibilidade do aluno, pode ser necessário mais tempo do que o normal.

Ou seja, é o aluno que vai definir se termina em 4 anos ou mais.

Quanto custa?

Outro fator que varia são os preços dos cursos.

De acordo com o Guia da Carreira, existem graduações que custam R$ 500,00 por mês.

Já as instituições que cobram mais caro podem exigir pagamentos mensais de até R$ 1.600,00.

O site também afirma que, na Região Sudeste, a maior parte dos cursos custa menos do que R$ 1.000,00 por mês.

Especializações de agronomia

Uma característica da carreira como agrônomo é a diversidade de especializações a seguir.

opções para todos os gostos, desde os que preferem o trabalho de campo até os que gostam de atuar na “retaguarda”.

Conheça algumas dessas especializações a partir de agora.

Engenharia florestal

A engenharia florestal é uma das especialidades “clássicas” da agronomia.

O profissional nessa área deve ser capaz de analisar e interpretar à luz de métodos científicos o comportamento dos biomas florestais em suas diversas manifestações.

Dessa forma, a atuação do engenheiro florestal é pautada pelo princípio da sustentabilidade.

Por isso, ele precisa estudar e gerir biomas para garantir a sobrevivência de espécies ou para implementar práticas de manejo sustentável em atividades agrícolas ou extrativistas.

Tecnologia de alimentos

O profissional de tecnologia de alimentos devem ser capaz de gerir, planejar e executar processos de transformação em alimentos e bebidas.

Precisa, ainda, administrar recursos, implementar mudanças tecnológicas e garantir condições de produção com segurança e respeito ao meio ambiente.

Por essas e outras características, esse é um campo multidisciplinar, no qual são necessários conhecimentos de biologia, química, bioquímica, farmácia e nutrição.

A tecnologia de alimentos cuida também dos processos de industrialização de gêneros, tanto os de origem animal quanto vegetal.

Defesa e vigilância sanitária

Outra especialidade do engenheiro agrônomo é a defesa e vigilância sanitária.

Nesse aspecto, o papel do profissional formado em agronomia vai além do fiscalizatório.

Na verdade, o agrônomo que atuar nessa área cuidará de todos os aspectos que envolvem a defesa agropecuária, partindo da elaboração de planos.

Assim, será responsável pelo combate a vetores, pragas, prevenção de doenças, entre outras atribuições.

Fitotecnia

O cultivo de gêneros agrícolas depende diretamente da reprodução das plantas e do seu crescimento saudável.

Esse é o objetivo principal do agrônomo que trabalha com fitotecnia.

Por isso, é necessário estudar métodos que garantam o crescimento vegetativo das plantas por meio da identificação dos ecossistemas, climas e seus impactos do meio ambiente.

De forma resumida, pode-se dizer que a fitotecnia é a técnica de estudo das plantas.

Não por acaso, há instituições de ensino que incluem a taxonomia como disciplina obrigatória.

Afinal, é por ela que as plantas podem ser identificadas, catalogadas e nomeadas adequadamente.

Agrobusiness

Os números das exportações de gêneros agrícolas brasileiros não deixa margem para dúvida: somos o país do agrobusiness.

Lembra do anúncio que diz “o agro é pop”?

Pois isso tem tudo a ver com o enorme potencial de movimentar a economia do país que o agronegócio possui.

Essa é, portanto, uma das especialidades na qual o agrônomo pode ingressar e seguir uma carreira estável e bem remunerada.

Mercado de trabalho de agronomia

Agrônoma trabalhando em um campo
Mercado de trabalho de agronomia

Outro aspecto positivo da agronomia é o amplo mercado de trabalho.

As projeções feitas pela Confederação da Agricultura e Pecuária no Brasil (CNA) para 2019, apontam para crescimento de 2% no Produto Interno Bruto, o PIB.

E não para por aí.

De acordo com a entidade, o Valor Bruto da Produção (VBP), que mede o faturamento interno da atividade agropecuária deverá aumentar em 4,3%.

Ou seja, a perspectiva é amplamente favorável em todos os sentidos.

Com um mercado de trabalho aquecido, fica até difícil escolher onde atuar – mas vamos dar algumas ideias para você.

Áreas de Atuação

Um mercado aquecido significa oportunidades em quantidade e com variedade.

Contudo, isso não significa que sua escolha pela área de atuação não deva ser criteriosa.

Pelo contrário, quanto mais opções, mais seletivo você deverá ser.

Isso porque é preciso pesar seus próprios critérios pessoais ao escolher o caminho a seguir.

Ter profissão garantida e bem remunerada é bom, mas trabalhar naquilo que gosta e tem afinidade é muito melhor.

Conheça agora as áreas de atuação em agronomia, coloque suas aptidões na balança e faça uma escolha com muito mais chances de acerto.

Administração rural

Toda unidade agrícola, seja ela destinada ao cultivo de hortifrutigranjeiros ou à criação de animais, precisa de gestão.

Cabe aos profissionais que atuam na área de administração rural gerir o agronegócio em todos os seus aspectos.

Planejamento das safras, contratação de pessoas e até a mensuração dos custos com fornecedores são algumas das funções para quem optar por esse ramo da agronomia.

Economia e administração agroindustrial

O agronegócio é, em essência, uma indústria.

Como tal, ela trata da produção em massa para atender a mercados de mesmas proporções.

Toda indústria precisa de uma administração que dê conta de seus múltiplos processos.

Assim sendo, a área de economia e administração agroindustrial se dedica a desenvolver métodos de produção mais eficazes e lucrativos.

Isso envolve, por exemplo, a gestão de estoques, cálculos de KPIs (indicadores de desempenho), como produtividade, perdas na colheita, entre outros.

Engenharia rural /Engenharia agrícola

O que não falta na área da engenharia agrícola são projetos de instalações, máquinas e equipamentos para construir e operar.

Pois cabe ao agrônomo que atuar nessa área a tarefa de planejar e gerir esse aparato necessário às atividades no campo.

Toda a mecanização das rotinas agrícolas e o necessário cuidado com os impactos no meio ambiente são responsabilidades do profissional que atua em engenharia rural.

Sistemas de irrigação, drenagem e implementação de tecnologias para dar suporte às tarefas também são algumas das atribuições de quem opta por esse segmento.

Ensino

A parte pedagógica, por sua vez, é fundamental para que o mercado de trabalho seja suprido com bons profissionais.

Ou seja, é a partir do ensino que a profissão de agrônomo, como todas as outras, pode se desenvolver e progredir.

Assim sendo, para dar aula em escolas técnicas, será preciso obter o diploma de licenciatura na área.

Já os que pretendem lecionar no ensino superior ou realizar pesquisas e estudos avançados devem enveredar no mestrado ou doutorado.

Indústria e venda de alimentos

Além de ajudar na manutenção de uma balança comercial favorável, o atividade agropecuária se presta, como não poderia deixar de ser, a abastecer o mercado interno.

É nessa parte que a área de produção e venda de alimentos surge como aquela em que o agrônomo atuará com mais desenvoltura.

Afinal, é ele o profissional que está presente em todas as etapas do processo produtivo.

Do plantio de sementes até a chegada ao consumidor final, lá está ele, garantindo a qualidade dos produtos e as suas corretas condições de higiene e armazenamento.

Manejo ambiental

Há quem considere a agropecuária uma espécie de “vilã” em relação ao meio ambiente.

Nada mais inverídico do que esse pensamento.

Na verdade, quando bem orientada e executada conforme as boas práticas, a agricultura pode até ajudar a restaurar ecossistemas.

É disso que trata o manejo ambiental.

Essa é a área na qual o agrônomo coloca em prática técnicas pelas quais ele desenvolve o cultivo de gêneros ou atividades extrativistas sem agredir os biomas.

Tudo isso pode ser feito com base nos recursos que a própria natureza oferece.

Um ótimo exemplo disso é a fábrica da Natura, marca de cosméticos brasileira com sede em Cajamar, São Paulo.

Desde o projeto arquitetônico, tudo nessa planta foi pensado e projetado para se integrar ao meio ambiente.

Poucas unidades industriais simbolizam tão bem que é possível um desenvolvimento sem que isso implique a destruição de matas, mananciais ou poluir a atmosfera.

Melhoramento animal e vegetal

Agrônoma trabalhando em um campo
Melhoramento animal e vegetal

Também conhecido como melhoramento genético, nessa área, as funções do agrônomo se aproximam das de um biólogo.

Segundo a Resolução Nº 218/73, do CONFEA, essa é uma área de conhecimento da agronomia.

Seu objetivo principal é aumentar a produtividade dos seres vivos.

Isso significa realizar experiências genéticas como cruzamento de raças para obter espécimes superiores.

Essa superioridade, por sua vez, pode ser manifestada em aumento na qualidade e quantidade da produção de alimentos, como ovos, leite ou carne.

Produção agroindustrial

A produção agroindustrial pode até ser confundida com a já destacada indústria de alimentos.

Contudo, essa área se dedica a desenvolver métodos mais diretamente ligados à produção em si e menos à distribuição da produção.

Nela, o profissional trabalha com processos e tecnologias utilizadas na produção de gêneros alimentícios diversos.

Silvicultura

A indústria madeireira é, ainda, estigmatizada por parte da sociedade.

É compreensível, afinal, como em toda atividade, existem os bons e maus profissionais.

Uma coisa é certa: é na silvicultura que estão as respostas para a extração de madeira de forma sustentável e sem agredir ou causar a devastação de reservas nativas.

Seu objetivo é utilizar métodos que garantam não apenas o fornecimento de madeira, como a regeneração das áreas florestais das quais ela é extraída.

Solos

Um solo infértil é inútil para a atividade agrícola.

Para que o cultivo se mantenha, é essencial aplicar técnicas que garantam a sua adubação, tornando-o rico em nutrientes para as plantas.

Quem cuida do solo também é responsável por evitar pragas e em dosar os níveis de pH, minerais e substâncias que possam afetar o crescimento de mudas.

Afinal, é no solo agrícola que toda produção rural começa, até mesmo quando se trata da criação de animais.

Zootecnia

A zootecnia é um curso de graduação à parte da agronomia.

Ou seja, aqui, estamos tratando de uma outra profissão.

Ela está na nossa lista porque ela tem fortes laços com o que faz um agrônomo.

Afinal, é da agronomia que derivam os conhecimentos da zootecnia.

Também chamada de produção animal, é nela que podem ser desenvolvidas as capacidades e produtividade de animais domésticos.

Assim, o profissional dessa área deverá conhecer, além da fisiologia dos animais, as dinâmicas de mercado para desenvolver pesquisas com potencial de bons resultados.

Pecuária

A pecuária lida com toda criação de animais para corte, produção leiteira, de ovos e derivados de carne para consumo humano.

Esses animais podem ser bovinos, suínos, aves ou mesmo espécies mais exóticas, como rãs.

Contudo, pecuária é um termo mais utilizado para se referir à criação de gado para corte.

De qualquer forma, não é errado utilizá-lo para tratar da criação de outros animais.

A questão é que, quando se trata da criação de suínos, por exemplo, é mais usual o termo “suinocultura”.

Consegue entender onde está a diferença?

Salário do agrônomo

Certamente, você não pensa em escolher a profissão de agrônomo apenas pela fascinante possibilidade de atuar na produção na indústria agropecuária.

Afinal, um fator de extrema importância ao tomar a decisão por uma carreira é a expectativa salarial, não é?

Nesse aspecto, há boas notícias: a média salarial do engenheiro agrônomo está bem elevada em 2019.

Começamos pelo que dizem as pesquisas do site Glassdoor.

Nele, consta que a média salarial de um engenheiro agrônomo é de R$ 7.168 mensais.

Isso quer dizer que os salários mais baixos estão em torno de R$ 3 mil e os mais altos batem os R$ 11 mil.

Nada mal, não é?

Na Catho, os números são mais modestos, mas nem por isso menos atraentes.

Nesse portal, a média salarial apurada para o engenheiro agrônomo é de R$ 4.959,58.

Conclusão

Nossa expectativa, ao elaborar este artigo, é fornecer um panorama abrangente sobre a agronomia e elucidar de vez o que faz um agrônomo.

Com esse material em mãos, estamos certos de que você fará uma escolha com muito mais segurança.

Pense bem, afinal, é o seu futuro e carreira que estão em jogo.

Se deseja investir nessa profissão, nossa dica é que conheça o curso de graduação em Agronomia da UPIS, além de todas as opções de pós-graduação:

E se tiver alguma dúvida, não hesite em deixar um comentário ou entrar em contato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *