Posted in:

O que é biomedicina, o que faz um biomédico e como é o curso

jovem em um laboratório segurando um tubo de ensaio contendo sangue

Quem planeja seguir carreira na área da saúde precisa saber o que é biomedicina.

Porque essa pode ser uma escolha certeira para a vida profissional.

A biomedicina é uma área acadêmica relativamente nova, com pouco mais de 30 anos no Brasil, tendo sido regulamentada com a Lei 6.684/1979.

Também por isso, se posiciona como uma carreira moderna, dividida em diferentes áreas de atuação e oferecendo oportunidades de trabalho diversas.

É sobre esse universo que vamos falar ao longo do artigo.

Quem sabe você já se identifica com o tema e começa a investir nesse novo conhecimento, abrindo horizontes para ampliar seu campo profissional?

Entre outras abordagens, vamos explicar o que é biomedicina, o que faz um biomédico, quanto ele ganha como é o curso e muito mais.

Quer saber tudo sobre o assunto? Então, acompanhe o texto até o final.

Boa leitura!

O que é biomedicina?

Biomedicina é uma área ligada às ciências biológicas e que está focada primordialmente em pesquisas de saúde – envolvendo a espécie humana, de animais e também de plantas.

É a biomedicina que estuda os agentes que causam as doenças, por exemplo.

Ela não só identifica esses microrganismos, como também investiga possíveis tratamentos, medicamentos e vacinas que possam prevenir surtos e epidemias.

Por tudo isso, a biomedicina é daquelas áreas indispensáveis na sociedade, pois sempre haverá demanda por uma melhor saúde, individual e coletiva.

Já percebeu a quantidade de exames que existem hoje em dia?

Eles não servem apenas para diagnosticar doenças, mas também para prevenção, visando a uma maior longevidade com qualidade de vida.

É o profissional da biomedicina que está por trás dessa grande variedade de diagnósticos, realizando exames, pesquisando, analisando e interpretando resultados.

Mas não é só isso.

Você vai perceber ao longo do texto que ela está presente em muitas atividades importantes que sequer imaginava.

Quais são as áreas da biomedicina?

As áreas da biomedicina abrangem vários segmentos.

Seu campo de estudo é bastante amplo por estar entre a medicina e a biologia, como o próprio nome sugere

Pertencente às ciências biológicas, a biomedicina está ligada principalmente à pesquisa, análise e compreensão das doenças humanas, além do constante aprimoramento de diagnósticos e tratamentos.

São muitas possibilidades de atuação, o que permite a grande versatilidade de carreiras.

Em resumo, as áreas da biomedicina são: análises clínicas, ambientais e de alimentos, imagenologia (exames de imagem), biologia molecular, genética e reprodução humana, acupuntura e banco de sangue.

No total, há 35 opções de especialização que podem ter atividades em hospitais, clínicas, farmácias e laboratórios, em empresas de alimentação e meio ambiente, órgãos governamentais e até mesmo em perícias nos institutos de criminalística.

Sim, pela análise de tecidos e sangue, a biomedicina é capaz de contribuir para esclarecer crimes.

Ainda tem biomedicina, por exemplo, na área sanitarista, informática de saúde, auditoria e, mais recentemente, na estética.

Vamos ver isso com mais detalhes logo abaixo.

Quais as disciplinas do curso de biomedicina?

biomedicina, Mulher, trabalhando em um laboratório, com um notebook, ao fundo, um homem trabalhando com um microscópio
Quais as disciplinas do curso de biomedicina?

O curso de biomedicina tem disciplinas ligadas às ciências biológicas e está sempre se atualizando em função dos rápidos avanços em tecnologias.

Além das matérias específicas da área, como fisiologia, bioquímica e microbiologia, anatomia, doenças e práticas de laboratório, fazem parte da grade curricular matérias relacionadas às áreas das ciências humanas e ciências exatas.

Se você pretende fazer o curso de biomedicina, vai precisar dominar conhecimentos interdisciplinares para exercer devidamente essa profissão.

Por exemplo, quem quiser ser biomédico, precisa estudar também administração laboratorial, metodologia científica e inglês, matemática, estatística e comunicação,

Quantos anos tem o curso de biomedicina?

O curso de graduação em biomedicina possui duração de quatro anos.

Ele é do tipo bacharelado, e há faculdades que oferecem o curso também semipresencial e à distância.

Além do bacharelado, para obter uma das diferentes habilitações (como já dissemos, são 35), você pode optar já durante a graduação por um estágio de 500 horas (no mínimo) no setor desejado.

Nesse caso, já sairá com a graduação e especializado em alguma das áreas.

Muitos desses estágios acontecem nas próprias faculdades ou em convênio com hospitais, clínicas e laboratórios.

Alguns estágios podem até ser remunerados.

Se preferir, para não se sobrecarregar em função da carga horária durante a graduação, você poderá mais tarde optar por uma pós-graduação na habilitação desejada ou realizar uma prova na Associação Brasileira de Biomedicina.

Mas, preste atenção: para fazer a prova na associação e obter o título de especialista em alguma habilitação, o biomédico tem que estar formado há pelo menos três anos e estar trabalhando há dois anos na respectiva área de interesse.

E será que o biomédico pode ser chamado de doutor? Na verdade, não.

Para começar, o biomédico não é médico. Assim, só será chamado de doutor se fizer doutorado, correto?

Ao realizar qualquer uma das habilitações, vai receber o título de especialista.

É preciso ficar bem claro que, apesar de ter medicina no nome, pertencer à área da saúde e possuir em sua grade curricular disciplinas comuns, a biomedicina tem foco diferente da medicina.

Em resumo: o médico se prepara para atuar diretamente com pacientes, enquanto o biomédico para atuar na causa de doenças.

Qual a melhor faculdade de biomedicina?

Essa pode ser uma análise subjetiva, dependendo de diversos fatores, a começar pela sua preferência.

De qualquer forma, de acordo com o Ranking Universitário Folha 2018, a melhor faculdade de biomedicina do Brasil é pública: a Universidade de São Paulo (USP).

O ranking pode ser consultado neste link.

Você vai verificar que entre as dez primeiras colocadas, a maioria está mesmo em universidades públicas.

Mas há muitas faculdades particulares de biomedicina no país também muito bem avaliadas.

E, antes de decidir, melhor saber direitinho em qual instituição irá investir seu tempo e dinheiro, certo?

Você pode fazer essa consulta rapidinho pela internet e buscar informações seguras no Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior no E-MEC, a partir deste link.

É bem fácil.

Basta colocar o nome da faculdade ou do curso para saber dos resultados e avaliações.

Esse cuidado é importante para a escolha de qualquer curso e instituição de ensino.

Em biomedicina, então, essa pesquisa é mais importante ainda.

Sabe por quê? Entenda no próximo tópico.

Como é o mercado de biomedicina?

biomedicina, Mulher, trabalhando em um laboratório, com um microscópio
Como é o mercado de biomedicina?

Só para você ter uma ideia sobre o quanto essa área acadêmica cresceu, comparando-se o número de cursos de biomedicina oferecidos no ano 2000 e, hoje, em 2019, houve um aumento de mais de 300%.

Há menos de 20 anos, tínhamos apenas seis faculdades de biomedicina no Brasil e atualmente são mais de 220.

O mercado realmente deu um salto e, segundo dados do Conselho Federal de Biomedicina, ela está presente em 20 países.

Só no Brasil, há 50 mil biomédicos registrados e mais de 10 mil estudantes matriculados nos cursos espalhados pelos diversos estados, principalmente na Região Sudeste.

Quem faz biomedicina pode trabalhar em quê?

Quem faz biomedicina pode trabalhar em várias áreas, como já falamos anteriormente.

Lembra das 35 habilitações?

Pois é, elas estão espalhadas em diversos setores, de hospitais e laboratórios a indústrias e universidades.

Tudo segue as regras estabelecidas no país pelo Conselho Federal de Biomedicina.

Você pode consultar cada uma delas no site. Elas estão relacionadas pela ordem cronológica de implantação.

A última habilitação regulamentada foi a biomedicina estética, que vamos ver logo mais.

Agora vamos detalhar mais algumas delas para você compreender melhor no que o biomédico pode trabalhar.

  • Análises clínicas: o biomédico pode realizar exames clínicos, emitir laudos e executar processamento de sangue para sorologias
  • Análises ambientais: refere-se às análises referentes a saneamento básico e meio ambiente
  • Indústrias: trata-se do trabalho realizado em indústrias químicas, elaborando-se soros e vacinas
  • Análises bromatológicas: o nome assusta um pouco, mas é um campo também bem interessante. A bromatologia é uma disciplina científica que estuda os alimentos. O biomédico vai trabalhar analisando sua composições químicas e calóricas, produção e transporte. Também pode trabalhar como responsável técnico, realizando relatórios, perícias, consultorias e laudos
  • Biologia molecular: trata-se da pesquisa de DNA e RNA, proteínas e genes. Aqui, a atuação abrange também os processos de fertilização para reprodução humana e de animais. Também vai coletar, analisar materiais, emitir laudos e pareceres técnicos
  • Genética: inclui descobrir e analisar os segredos da hereditariedade, como se dá a variação dos seres vivos e a transmissão das características. Nessa área, o biomédico vai não só se dedicar a pesquisas e análises de DNA como também desenvolver atividades de coordenação, consultoria e aconselhamento genético. Será um geneticista, portanto
  • Reprodução humana: essa área também desperta muita curiosidade (e exige muito estudo, é claro), porque diz respeito a exames e classificações relacionadas a espermatozoides, gametas e embriões
  • Citologia oncótica: colher e analisar células para o exame do colo do útero (Papanicolau ou PapTest) para prevenção de câncer e doenças sexualmente transmissíveis.
  • Banco de sangue: o biomédico poderá trabalhar no processamento do sangue, realizando os procedimentos, com exceção de transfusões, cuja responsabilidade cabe a um médico
  • Imagenologia: quem faz biomedicina pode trabalhar na realização de exames de imagem: tomografia, ressonância magnética, radioterapia, medicina nuclear e radiologia. Também na operação dos equipamentos e no armazenamento das imagens. O biomédico poderá aplicar produtos, como contrastes, e atuar na indústria de equipamentos e serviços. Só não pode interpretar os laudos, o que deve ser feito por um médico.

O que faz um profissional de biomedicina estética?

Depois de compreender as várias funções do biomédico em diferentes áreas de atuação, vamos falar da especialidade mais recente da biomedicina, a estética.

O profissional de biomedicina estética, como o nome sugere, pode fazer vários procedimentos estéticos, menos os que são considerados cirúrgicos.

Em tempos de botox, peelings e preenchimentos, de tantas novidades e técnicas, o chamado biomédico esteta tem que gostar de estar em contato com pacientes.

Afinal, irá não só desenvolver como aplicar tratamentos corporais e faciais, para cuidar não somente da saúde, mas do bem-estar e da beleza.

Entre esses procedimentos, estão a carboxiterapia, o microagulhamento, a eletroterapia e a aplicação de botox e laser.

O profissional de biomedicina estética pode também receitar substâncias e medicamentos para fins de estética, cosméticos e os manipulados (não controlados).

Se a biomedicina já está em alta, imagine o mercado de trabalho para o especialista em estética, em uma sociedade que tanto valoriza a beleza e o rejuvenescimento.

O que um biomédico pode fazer em um hospital?

Mulher, trabalhando em um laboratório, com um microscópio
O que um biomédico pode fazer em um hospital?

Um biomédico pode fazer em um hospital algumas atividades indispensáveis para o diagnóstico e tratamento de pacientes.

Lembra que dissemos no início que a biomedicina era um trabalho de bastidores?

O biomédico, trabalhando em hospital, poderá ter um maior contato com pacientes.

Poderá realizar, por exemplo, coleta de sangue e exames de imagem, administrar contrastes, posicioná-los nos equipamentos, entrevistá-los e explicar os procedimentos.

Um contato bem mais direto, portanto.

Outro trabalho que um biomédico pode fazer em um hospital é a análise e pesquisa de alimentos, verificando contaminações.

É a bromatologia, sobre a qual comentamos anteriormente.

Em que áreas um biotecnólogo pode atuar?

O biotecnólogo pode atuar em áreas semelhantes à do biomédico, só que tem uma diferença: ele dispõe de formação ainda mais diversificada.

É que, além de ter que conhecer química e biologia, ele precisa também estar por dentro de novas tecnologias.

Precisa estar se atualizando constantemente tanto na área de saúde e de alimentos, como também nas áreas química e ambiental.

Além de dominar biologia, química e física, ele tem que possuir também conhecimentos de estatística, informática e robótica.

O biotecnólogo pode atuar também em áreas bem diversas, relacionadas a engenharia, biotecnologia, ciências biológicas e ciências biomédicas.

Exemplos: desenvolver produtos alimentícios, controlar pragas em plantações, desenvolver espécies vegetais geneticamente modificadas e fabricar medicamentos.

O desafio do biotecnólogo está em encontrar novas técnicas, que sejam sustentáveis e seguras.

Afinal, o meio ambiente tem que ser preservado.

Quanto ganha um biomédico?

Um biomédico ganha, em média, R$ 2.600,00 por 40 horas semanais de trabalho, segundo dados do Caged, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados do Ministério de Trabalho.

O maior número de vagas de emprego para biomédicos está na cidade de São Paulo.

Para pesquisar a média salarial por estado, você pode conferir este link.

Salários iniciais giram ao redor de R$ 1.500, podendo ser bem mais altos, dependendo da região do Brasil e do porte da empresa onde o profissional vai atuar.

Também é importante saber quais segmentos de empresas que mais contratam biomédicos.

E, hoje, os que mais empregam são os laboratórios clínicos, hospitais e clínicas de estética.

Mas há procura também por biomédicos para atividades de atendimento hospitalar, pronto-socorro e, inclusive, para atividades de apoio à gestão de saúde.

Quanto ganha um biomédico pós-graduado?

Quem faz um curso de pós-graduação, é claro, possui uma remuneração base mais alta do que aqueles que ficaram na graduação.

No caso de profissionais com mestrado, eles recebem um salário médio de R$ 3.500 por mês. Já biomédicos com doutorado têm salário médio de R$ 7.000.

Esses profissionais, muitas vezes, trabalham na área de pesquisa, seja para uma faculdade, universidade ou hospital altamente reconhecido – o que justifica os valores mais altos.

O biomédico com pós-graduação no currículo fará muita diferença, afinal, ele estará melhor preparado em relação aos demais profissionais do mercado.

Algumas opções de pós-graduação incluem: auditoria, hemoterapia, terapia celular, colpocitologia oncótica e análises toxicológicas

Qual a importância da biomedicina na sociedade?

A importância da biomedicina na sociedade é inquestionável.

Basta conhecer mais sobre a área, como fizemos ao longo deste artigo, para entender melhor.

A biomedicina desempenha um papel primordial na saúde pública, fornecendo dados para diagnósticos e descobertas científicas, seja para a cura ou para prevenção de doenças e epidemias.

Seu objetivo principal é compreender as causas, os efeitos e os mecanismos das doenças, para desenvolver ou melhorar os diagnósticos e tratamentos para as doenças humanas.

Isso para ficar apenas na área da saúde.

Mas cada um dos segmentos onde há um biomédico contribui, da sua maneira, para o avanço da vida em sociedade.

Um ótimo exemplo é o da área de alimentos, sobre a qual vamos falar a seguir.

Biomedicina e alimentos

biomedicina, Mulher, segurando sementes com uma pinça de laboratório
Biomedicina e alimentos

A biomedicina tem tudo a ver com alimentos, uma área importante que, indiretamente, também lida com a saúde humana e animal.

Indispensável para a vida, a biomedicina de alimentos está presente em indústrias de alimentação, hospitais, laboratórios, centros de pesquisa (também em veterinária) e consultorias.

Há a especialização em bromatologia (ciência dos alimentos, como já vimos).

Nesse caso, você será um bromatólogo.

Realizará análises da composição física, química e toxicológica dos alimentos, seus nutrientes e microrganismos de contaminação que atuam nos organismos

Para trabalhar na área, você também vai se especializar em gestão da qualidade dos alimentos, habilitando-se para gerenciar e compreender toda a legislação que envolve a cadeia produtiva para uma atividade segura.

Outra possibilidade está na microbiologia de alimentos, o que envolve a realização de análises que garantam segurança e qualidade dos alimentos nos vários processos de sua produção.

Bases da biomedicina

Como você deve imaginar, as bases da biomedicina são a biologia e a medicina.

Trata-se, portanto, da combinação da ciência médica com as áreas da biologia, incluindo aí a bioquímica, a embriologia, a biologia molecular, a imunologia e outras.

Os métodos desenvolvidos pela biomedicina permitem uma atuação mais segura nas políticas públicas de saúde e também de diagnósticos laboratoriais.

Conclusão

Depois de entender o que é biomedicina, fica claro que estamos falando de um campo bastante extenso e que permite a consolidação de carreiras promissoras na área de saúde, principalmente para quem gosta de pesquisa.

Suas especializações são regulamentadas pelos órgãos competentes.

Fora a biomedicina estética, a mais recente e que está em franco crescimento, você viu que há mais de 30 opções para conhecer e escolher .

Que tal então iniciar logo sua graduação e já começar a pensar em quantas habilitações você irá se especializar?

A pós-graduação em Saúde Estética, por exemplo, é uma excelente alternativa para conquistar seu espaço no mercado de trabalho.

Visite o site da UPIS para saber mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *