Posted in:

Business Model Canvas: O que é e como implementar corretamente?

Imagem com as palavras business, model e canvas em destaque

Você já imaginou poder visualizar todo o plano de negócios de sua empresa em uma única página? Com o Business Model Canvas, isso é possível.

Essa ferramenta extremamente versátil, simples e eficiente tem sido muito utilizada por empresas dos mais diferentes segmentos e tamanhos.

Sabe por quê?

Por possibilitar a visualização ampla de todos os aspectos fundamentais do negócio de uma única vez.

Ficou curioso para saber mais sobre o BMC?

Então, continue a leitura. Neste artigo, destacaremos o que é o Business Model Canvas, sua importância, como implementá-lo e principais benefícios.

Vamos lá?

O que é o quadro de Business Model Canvas?

O quadro de Business Model Canvas (BMC) representa a base do modelo de negócio criado por Alex Osterwalder, suíço que tem amplo trabalho e pesquisa sobre empreendedorismo.

É por meio dele que o empresário, gestor ou administrador consegue visualizar todo o negócio em apenas uma página.

Composto por nove quadrantes, o Canvas permite incluir as atividades mais importantes da empresa, os pontos fortes e fracos do negócio, seus principais indicadores, detalhes de seus públicos, infraestrutura e viabilidade financeira.

Ele é como se fosse um mapa visual do plano de negócios de uma empresa.

O que é o Business Model Canvas no empreendedorismo?

Pelo que já vimos até aqui, fica claro que o Business Model Canvas tem tudo a ver com empreendedorismo.

E há inúmeras situações nas quais isso se aplica.

Vamos imaginar que você tenha a ideia de lançar um novo produto para o mercado, mas não saiba exatamente como demonstrar que ele poderá ser lucrativo e terá aceitação.

A ferramenta facilita a visualização das hipóteses e, assim, ajuda o gestor a tornar a sua estratégia mais efetiva.

E isso vale para diferentes demandas relacionadas ao universo empreendedor.

Por exemplo, utilizar o Business Model Canvas é uma ótima maneira para apresentar o seu modelo de negócio, de forma convincente, para investidores e parceiros.

Em apenas uma folha, o empreendedor pode explorar os elementos que estruturam o seu negócio.

Ou seja, o instrumento traz maior facilidade, controle e conhecimento tanto para quem está dando seus primeiros passos quanto para empresários já experientes.

Como o Business Model Canvas foi criado?

Tudo começou com o escritor, pesquisador e empreendedor suíço Alex Osterwalder.

Em sua proposta, tomou como base algumas de suas pesquisas realizadas na Universidade de Lausanne sobre os diversos tipos de modelos de negócios.

Também considerou a contribuição de mais de 470 pesquisadores e empreendedores de 45 países.

Assim, Osterwalder elaborou o primeiro esboço do que hoje é chamado de Business Model Canvas.

Em 2008, após finalizar sua tese de doutorado, ele lançou o livro “Business Model Generation”, que foi quando apresentou o seu modelo para o mundo.

Traduzido para mais de 30 línguas, a publicação fez sucesso não apenas por apresentar o Business Model Canvas, mas também por fazer isso de uma forma moderna, leve e divertida, por meio de imagens e infográficos.

Qual é o objetivo do Business Model Canvas?

Quadro canvas
Qual é o objetivo do Business Model Canvas?

No universo corporativo, a alta competitividade é um desafio que se apresenta a toda e qualquer empresa.

Nesse sentido, o Business Model Canvas se mostra como uma ótima ferramenta.

Seu principal objetivo é o de possibilitar ao gestor colocar as ideias no papel e visualizá-las de forma fácil, clara e didática.

Com isso, ele consegue apresentar, discutir ou até mesmo persuadir a respeito de suas estratégias de ação, defender um projeto ou ponto de vista e apresentar o seu negócio para investidores.

O BMC acaba por ser um modelo de negócios extremamente ágil, que permite testar e mudar cada um de seus pontos ao longo do tempo, fazendo dele uma ferramenta de inovação.

Qual é a importância do Business Model Canvas?

Utilizar o Business Model Canvas pode trazer muitas vantagens, principalmente por ser uma ferramenta mais interativa e maleável do que o tradicional plano de negócios, que se mostra bem mais engessado.

O instrumento oferece uma abordagem visual sobre como se dá o funcionamento da empresa.

Também facilita a definição das ideias e a organização das ações.

Além disso, ajuda a segmentar os clientes e a área de atuação.

Na prática, isso permite identificar de forma muito mais assertiva as propostas de valor para cada um dos seus públicos.

É um modelo que ajuda, ainda, na avaliação de desempenho do negócio ao dar informações claras de diversos aspectos da organização.

Mas o BMC não existe para ser utilizado apenas em empresas que estão iniciando ou em startups.

A verdade é que ele pode trazer benefícios para todo tipo de negócio, incluindo aqueles que já funcionam há mais tempo ou que desejam implementar uma metodologia mais inovadora.

Nesse sentido, podemos resumir a importância do Business Model Canvas com as seguintes vantagens:

  • Maior agilidade para identificar propostas de valor que estejam alinhadas com os objetivos traçados
  • Identificação mais rápida do modelo de negócios e dos elementos mais importantes
  • Conhecimento aprofundado do projeto ou da empresa, permitindo um melhor alinhamento de todos os envolvidos
  • Possibilita adaptações ao longo do processo para que o Canvas esteja de acordo com a realidade da empresa em cada etapa
  • Oferece indicadores valiosos e reais, que facilitam as inovações estratégicas
  • Cria um maior entendimento entre todos os envolvidos no processo
  • Reduz as falhas na comunicação interna e fortalece a cultura organizacional
  • Permite que cada colaborador compreenda melhor seu papel dentro da empresa e amplie a sua visão sobre o negócio.

Quando utilizar o Business Model Canvas?

O Business Model Canvas pode ser utilizado em diversas situações, uma vez que oferece informações similares ao plano de negócios de uma empresa.

Veja exemplos de situações para recorrer à ferramenta:

  • Criação e desenvolvimento de projetos do zero
  • Qualificação de negócios já existentes
  • Compartilhamento da visão global de um negócio com os funcionários
  • Alinhamento de ideias entre sócios para descomplicar a tomada de decisão
  • Atração de investidores ao mostrar o negócio de forma rápida e direta
  • Apresentar a estruturação do negócio e da empresa
  • Colocar ideias de negócio no papel e estruturá-las.

Como fazer o seu Business Model Canvas?

Quadro canvas
Como fazer o seu Business Model Canvas?

O Canvas é fácil de ser elaborado, pois a sua ideia principal consiste na construção de um quadro que será exposto em um mural.

Nesse quadro, estarão todas as informações sobre o negócio.

E o importante é que elas sejam exibidas de forma objetiva e de fácil percepção.

Então, antes de partir para a prática, vamos abordar o que não pode ficar de fora.

Como são cinco etapas básicas, a primeira ação é pensar a respeito delas.

Ou seja, vamos refletir sobre as respostas para as seguintes perguntas:

1. Por quê?

É o momento de pensar qual é o propósito do negócio ou projeto que será desenvolvido.

Reflita sobre quais são as metas e objetivos a serem cumpridos, quais os motivos por trás da ideia.

2. O quê?

Pondere sobre a proposta de valor do seu empreendimento.

Afinal, o que a sua empresa irá oferecer para o cliente?

É o momento de descrever quais serão os produtos e serviços oferecidos, mas sempre levando em conta quais são as necessidades e os interesses dos seus consumidores.

Busque entender quais problemas o seu negócio resolverá para os clientes.

3. Quem?

Agora, é o momento de identificar os stakeholders do seu empreendimento.

Defina o seu público-alvo e descubra o nicho que irá explorar.

Quais grupos de pessoas irão se interessar ou terão necessidade de consumir os seus produtos ou serviços?

4. Como?

Determine quais estratégias você irá usar para desenvolver o seu negócio.

Estude ideias, projetos e negócios similares, avalie a concorrência, verifique como projetos parecidos são executados.

É momento de analisar as fraquezas e as forças para buscar oportunidades e entender riscos que você poderá enfrentar.

5. Quando e quanto?

Finalmente, é a hora de montar um cronograma.

Ou seja, verifique o capital disponível para o investimento inicial e estabeleça prazos para a ideia começar a funcionar.

Nessa etapa, pense também nas projeções de lucro, no retorno de capital e em todos os gastos que possam ser previstos.

Após responder a todos esses questionamentos e analisar a sua proposta, é chegado o momento de fazer o seu BMC.

Para isso, não deixe de conferir o tutorial do próximo tópico.

Tutorial como fazer o Business Model Canvas (BMC)

Em um passo a passo, preparamos um tutorial completo para elaborar o seu Business Model Canvas e tirar proveito da ferramenta.

Confira!

1. Montando o quadro

O primeiro passo é montar o seu quadro.

Ele pode ser feito manualmente ou a partir de modelos prontos que já existem na internet.

No primeiro caso, separe 13 folhas de papel A4.

Alinhe as 10 primeiras lado a lado verticalmente.

Já as três restantes, coloque no formato horizontal, também lado a lado, abaixo daquelas que estão na vertical.

Com isso, você terá montado um grande painel quadrado.

2. Organizando o quadro

Em seguida, é o momento de numerar as folhas e se preparar para iniciar o preenchimento do quadro.

Separe notas adesivas, canetas de cores diferentes e marcadores de texto.

É importante criar um sistema simples, onde cada cor tenha um significado específico.

Defina quais informações serão colocadas em notas e quais serão inseridas diretamente no quadro.

Vale criar uma lista de significados para auxiliar nesse processo.

A divisão do Canvas em blocos pode ser realizada da forma que você julgar mais adequada.

O importante é que ele contenha os nove blocos principais.

3. Preenchendo o quadro

Com o Canvas montado, chega o momento de preencher os campos.

Lembre-se das perguntas que foram respondidas no tópico anterior, pois elas ajudarão neste momento.

Vamos lá:

  • Segmento de clientes: aqui, você deve definir qual ou quais os seus públicos-alvo e suas características. Informe dados demográficos, sociais e relacionados ao comportamento do consumidor, como problemas que ele enfrenta e o que ele gostaria de resolver
  • Proposta de valor: espaço para estabelecer o que você está ofertando para seus clientes e quais benefícios pretende entregar para eles. É importante tentar resumir em apenas uma frase
  • Canais: como o seu produto ou serviço será entregue para o seu cliente? Por site, aplicativo, loja física?
  • Relacionamento com os clientes: descreva como os clientes vão ficar sabendo do seu negócio ou projeto e como você vai se relacionar com eles. Será via redes sociais, site, campanhas patrocinadas ou no marketing boca a boca?
  • Atividade chave: deixe claro quais são as suas principais atividades. Aqui, é importante não colocar mais do que cinco e descrevê-las com verbos. Exemplos: vender, atuar em marketing, prestar serviços em TI, etc.
  • Recursos chave: é tudo aquilo que precisa existir para que seu negócio consiga operar, como ter um vendedor, computadores e uma boa rede de internet. Podem ser recursos físicos, intelectuais, financeiros ou humanos
  • Parceiros: destaque quais são as pessoas que ajudam com as suas metas de negócio, desde pessoas físicas a fornecedores
  • Estrutura de custos: aponte quais são os investimentos necessários para que o seu projeto se sustente e consiga operar. São os custos envolvidos na sua execução e estrutura
  • Fontes de receita: você deve colocar o que ganha com o negócio. Não foque somente no lado econômico. Pense nos ativos que você está gerando, quais podem se tornar valores financeiros no futuro, os aprendizados e o seu modelo de receita. Destaque como você receberá dos clientes e de que forma os produtos e serviços irão gerar retorno financeiro para a empresa.

Business Model Canvas para startups

O Business Model Canvas é um modelo muito utilizado por startups exatamente por ser uma ferramenta que permite resumir as estratégias de negócio de forma simples e prática, além de possibilitar identificar oportunidades.

Mas o modelo mais utilizado por esse tipo de empresa não é o tradicional BMC, mas sim uma evolução dele: o Lean Canvas.

Criado pelo engenheiro elétrico americano Ash Maurya, em 2009, o Lean Canvas trata de uma versão mais enxuta do BMC, voltada especificamente para o desenvolvimento de startups.

Ele leva em conta o aprendizado inicial da criação do negócio e o amadurecimento da ideia a partir dos conceitos do modelo original.

Mas a diferença está, basicamente, na estrutura do Canvas.

No Lean, alguns boxes são substituídos por novos conceitos, tais como:

  • Problema: é a parte de identificação da necessidade, do problema que deverá ser resolvido pela empresa ou projeto
  • Solução: após entender o problema, o empreendedor começa a definir qual será a sua solução. Porém, no Lean, este é um campo bem menor
  • Métricas: aqui, é importante focar em poucas métricas, mas que são fundamentais e agregam valor ao produto ou serviço
  • Vantagem diferencial: informa o que não pode ser copiado ou comprado por outra empresa, algo exclusivo do negócio ou projeto.

Como implementar corretamente em meu negócio?

Imagem com a palavra MODEL em destaque
Como implementar corretamente em meu negócio?

Não sabe por onde começar?

Comece construindo o seu planejamento de negócio, tendo como base o Canvas.

Para isso, basta seguir o breve tutorial que descrevemos acima.

Além disso, sempre tente envolver a equipe no preenchimento do Business Model Canvas.

Seu time de trabalho tem muito a contribuir com ideias, sugestões e opiniões.

Uma boa dica é realizar uma reunião de brainstorming para poder ouvir o que os colaboradores e colegas têm a falar.

Depois, é necessário discutir o Canvas com os gestores e, finalmente, colocá-lo em um espaço na empresa onde todos possam acompanhar a sua aplicação, evolução e o andamento das atividades.

Vale utilizar imagens e gráficos para facilitar o entendimento.

Quais outros tipos de modelos de negócio?

homem segurando um tablet
Quais outros tipos de modelos de negócio?

Além do Business Model Canvas, existem diversos outros tipos de modelos de negócios.

Agora, vamos destacar alguns dos principais existentes no mercado.

Franquia

As franquias correspondem à venda da licença de uma marca já existente no mercado.

É como se fosse um modelo para a distribuição e comercialização de um produto ou serviço específico.

Nele, existem dois elementos principais: o franqueador e o franqueado.

O primeiro é o proprietário do negócio, quem criou a marca e o produto ou serviço, estabeleceu a sua imagem no mercado e possui uma fórmula já testada do empreendimento, mas que busca expandi-lo geograficamente.

Já o franqueado é aquela pessoa que busca replicar o modelo.

Para tanto, ele é treinado e capacitado pelo franqueador e precisa seguir uma série de regras e processos já estabelecidos.

De acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), existem mais de 142 mil franquias em operação no Brasil.

Algumas famosas são: McDonald’s, Chilli Beans, O Boticário e Havaianas.

Assinatura

Nesse modelo, a empresa concede um produto ou serviço ao usuário mediante ao pagamento de um valor, que geralmente tem cobrança mensal.

Muito usado por empresas do segmento do entretenimento ou de divulgação de informação e notícias, a assinatura é um modelo que busca constantemente a qualidade.

Quando a solução não agrada, muitos de seus clientes cancelam a assinatura.

É um modelo caracterizado pela venda contínua e periódica, que pode ser mensal, bimestral, semestral ou, até mesmo, anual.

O mais importante é definir qual a melhor fonte de receita e investir em campanhas de marketing para divulgar o negócio e fidelizar o cliente.

Exemplos de empresas desse modelo são Netflix, Editora Abril, Net e Sky.

Freemium

Formato mais moderno do modelo de assinatura, o Freemium oferece serviços “free”, ou gratuitos, e premium.

Dessa forma, o usuário pode escolher o que mais encaixa em seu perfil e, com isso, o serviço alcança mais consumidores.

Afinal, é possível convencer aqueles que utilizam o serviço gratuito a migrar para o premium.

É um modelo caracterizado pela oferta de diversos tipos de assinatura ou planos especiais.

A empresa mais famosa a utilizar esse modelo de negócio é o Spotify.

Isca e anzol

Neste caso, ocorre a venda de um produto com uma margem de lucro pequena, mas que depende de um outro, em que a margem é bem mais alta.

Uma empresa que utiliza bastante este modelo é a Nespresso.

Sua máquina de café não tem uma margem alta, mas isso se compensa pelas cápsulas de café, que são vendidas separadamente.

Outro exemplo é a Gillette, que utiliza esse modelo na venda do barbeador e da lâmina.

Em ambos os casos, um produto depende do outro.

Marketplace

Muito utilizado pelas grandes empresas varejistas – Lojas Americanas, Netshoes, Polishop, entre outras – esse modelo consiste no aluguel de um espaço de uma grande loja por uma menor.

Nesse sentido, o “aluguel” do espaço é pago por meio de uma porcentagem das vendas.

Assim, pequenas lojas que, provavelmente, teriam dificuldade para entrar no mercado, ganham visibilidade e expandem o seu negócio ao utilizar o espaço dessas grandes empresas.

Conclusão

Neste artigo, você conheceu o que é o Business Model Canvas, suas características, aplicações e importância.

Além disso, pôde descobrir os benefícios que essa ferramenta traz para as empresas que o implementam.

O BMC permite uma maior maleabilidade do plano de negócios e ainda possibilita uma melhor visualização da empresa como um todo.

Agora que você já sabe como criar o seu Business Model Canvas, que tal colocar essa ferramenta em prática?

Você já utilizou o BMC? Conte a sua experiência nos comentários!

E se gostou do conteúdo, não se esqueça de compartilhá-lo em suas redes sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *