Posted in:

Ciência política: o que é, objetivos e como é o curso

gestao-financeira-o-que-e-como-cursar-faz-gestor.jpg

A ciência política é um campo de atuação nobre, mas, por vezes, menosprezado.

E isso acontece pelo entendimento comum equivocado, fruto da presença da palavra “política” no nome.

Muita gente ainda torce o nariz para o assunto, acha que é algo de opinião bastante particular, ou que só serve para fomentar discussões que não levam a nada.

Se você tem uma visão parecida, está na hora de mudá-la.

A ciência política está presente no nosso dia a dia muito mais do que imaginamos – e não apenas em época eleitoral.

Também por isso, quem se especializa nessa área sai na frente e amplia as suas chances profissionais para um mercado promissor.

A formação vai muito além do que apenas discutir o que determinado partido, candidato ou governo segue como linha ideológica.

E a melhor notícia é que o mercado de trabalho para o cientista político está aquecido.

É o que revelam contribuições de usuários à plataforma Catho, empresa de tecnologia que funciona como um classificado online de currículos e vagas de trabalho.

Segundo 63% dos graduados em ciência política, é fácil conseguir emprego na área.

E outros 75% garantem que o curso de ciência política ajudou a realizar sonhos.

Parece interessante para você?

Então, não deixe de acompanhar este guia completo até o final.

A partir de agora, vamos falar sobre o conceito de ciência política, explicar seu objeto de estudo e trazer detalhes sobre a formação e atuação do cientista político.

Ao concluir a leitura, você vai perceber que, mais do que preconceito, há muitas descobertas interessantes sobre essa área.

A ciência política abre portas para um novo horizonte de oportunidades, tanto para sua formação pessoal como profissional.

Que tal saber mais sobre ela?

Boa leitura!

Qual o conceito de ciência política?

Ciência política é o estudo metódico da política, das estruturas e processos governamentais, abordando teoria e prática.

Isso acontece através da descrição e análise dos sistemas, organizações e comportamentos políticos, envolvendo o estudo da estrutura de governos.

O conceito de ciência política está inserido em diversos campos do saber e de atuação, a exemplo dos seguintes:

  • Filosofia política
  • Sistemas políticos
  • Estado
  • Partidos políticos
  • Ideologia
  • Economia
  • Análise de administração
  • Políticas públicas.

Qual é o objeto de estudo da ciência política?

A ciência política tem como principal objeto de estudo a análise das instituições políticas e os fenômenos políticos de um dado governo.

O estudo da política surgiu na Grécia Antiga, quando Aristóteles se dedicou a compreender e a definir as diferentes formas de governo.

Desde então, a política entrou em pauta e recebeu grande atenção de governantes e das respectivas sociedades por estar presente em toda relação humana.

Diferentemente da filosofia política, praticada pelos gregos antigos, a ciência política só se constituiu mais tarde, no século 19, com o surgimento das ciências humanas.

Seus estudos recorrem a diversas outras áreas do conhecimento humano, como: economia, direito, sociologia, história, antropologia, administração pública, relações internacionais, psicologia e filosofia.

Para ampliar a compreensão, vale observar o que explica o historiador e cientista político Norberto Bobbio (1909-2004) em seu Dicionário de Política:

“Ocupar-se cientificamente de política significa não se abandonar a opiniões e crenças do vulgo, não formular juízos com base em dados imprecisos, mas apoiar-se nas provas dos fatos.

Quais são os autores clássicos da ciência política?

Autores clássicos da ciência política tem raízes profundas na história do conhecimento humano, sendo referências importantes nos primeiros pensadores que se dedicaram ao estudo da política, como foi o caso os filósofos Platão e Aristóteles.

Aristóteles, em sua mais influente obra, A Política, defende que a natureza humana é a justificativa para o homem viver em grupo, pois a finalidade da vida é ser feliz e fazer os outros felizes.

O homem é um animal político“, aponta o filósofo, referindo-se ao fato de ele viver em comunidade.

Mais tarde, entre os séculos 14 e 18, diversos outros pensadores contribuíram para o campo do conhecimento político.

Entre os mais importantes, estão:

Aliás, cabe um destaque para Maquiavel, autor de O príncipe e Discursos sobre a Primeira Década de Tito Lívio.

Ele inaugurou uma forma distinta de pensar a política.

O bem e o mal são apenas meios de chegar ao fim”, escreveu, desvinculando a política da moral, da ética e da religião cristã.

Ao contrário, Rousseau defendia que a soberania política vinha do povo.

Foi assim que escreveu em seu O Contrato Social, obra publicada em 1762 e uma das mais influentes de filosofia política.

O que é o curso de ciência política?

O que é o curso de ciência política?
Ciência política, Desenho, dois bonecos de homens, se cumprimentando, em cima do globo terrestre

O curso de Ciência Política é uma graduação de nível superior com titulação de bacharelado.

É uma disciplina da área de Ciências Sociais que lida com o estudo de sistemas de governo, análises de comportamento político e de atividades políticas em geral.

Quem ingressa na graduação tem contato com vários pensadores, como os que relacionamos no tópico anterior.

O curso estuda as organizações, sistemas e processos, destacando como realizar análises acerca da política brasileira, assim como do Estado em geral.

Nas aulas, é desvendado um campo de conhecimento interessante, que versa sobre a importância da relação humana e poder para o bom convívio entre pessoas que possuem diferentes ideologias e pensamentos críticos.

Vale dizer que há também cursos de pós-graduação em Ciência Política.

O que faz um cientista político?

O cientista político é o profissional de ciências sociais que analisa fatos históricos e atuais.

Assim, exerce a função de fornecer subsídios para a tomada de decisões, definição de projetos e políticas públicas.

Ele pode atuar tanto em empresas privadas de todos os setores da economia como em órgãos públicos (a exemplo de secretarias, autarquias e ministérios).

Porém, é figura que marca presença especialmente no meio acadêmico, sendo com frequência contratado por instituições de ensino e pesquisa no Brasil.

O cientista político desenvolve a capacidade de promover grandes transformações na vida da sociedade como um todo.

Em eleições, aparece como um coadjuvante de respeito, sendo que os protagonistas (os candidatos) dependem do seu conhecimento para alcançar bons resultados.

Nessas ocasiões, seu papel é o de analisar, interpretar e projetar o processo eleitoral.

Qual é o objetivo do estudo da ciência política?

Enquanto ciência, esse é um campo de estudo que foge do empirismo.

E quando falamos de política, temos aí uma características especialmente importante.

Seu estudo visa a profundidade na teoria política, com a construção de argumentos que permitam a compreensão e a análise das relações políticas.

O objetivo principal, portanto, é conhecer o comportamento coletivo do homem.

Por isso, quem decide abraçar a ideia e se tornar um cientista político, vai se preparar justamente para atuar desde a assessoria e consultoria política para órgãos públicos até a análise e organização de estratégias para partidos políticos, sindicatos, ONGs e campanhas eleitorais.

Estudar os fenômenos políticos significa investigar os acontecimentos que visam a aquisição, a manutenção e o exercício do poder político.

E a ciência política se aproxima dessa realidade com conhecimento de causa.

Quanto tempo dura o curso de ciências políticas?

Como já destacado, o curso de ciências políticas é oferecido na modalidade de bacharelado.

Por isso, tem duração média de quatro anos.

Durante esse período, o aluno vai acompanhar disciplinas diferenciadas, como sociologia, história, políticas públicas, antropologia, direito e relações públicas.

Já no caso de instituições que oferecem cursos de pós-graduação na área, a duração cai para o prazo de um a dois anos.

O que é a filosofia política?

Deferentemente da ciência política, que pressupõe métodos de análise para a aplicação de teorias, para medir resultados e suas consequências, a filosofia política tem o objetivo de pensar sobre as questões referentes à convivência humana com o poder, a justiça e a liberdade individuais e coletivas.

Na filosofia, política é entendida em um sentido mais amplo, o que envolve as relações entre os habitantes de uma comunidade.

Como já vimos nos tópicos acima, a filosofia política ocidental surgiu na Grécia Antiga e dizia respeito à apresentação de soluções sobre a convivência dos habitantes dentro das cidades-estados gregas.

Chamadas de pólis, elas eram independentes e, muitas vezes, rivais entre si.

Tal características contemplava as mais variadas formas de organização política, como a aristocracia, democracia, monarquia, oligarquia e, até, a tirania.

Refletir sobre esses períodos e suas implicações atuais e futuras faz parte do dia a dia na filosofia política.

O que é a geografia política?

O que é a geografia política?
Ciência política, mapa mundi globo, em cima de um notebook

A geografia política se dedica ao estudo da interação entre a política e o território.

Não tem a ver com o estudo da superfície terrestre, como o nome geografia poderia sugerir.

Refere-se às relações territoriais envolvendo os estados nacionais no plano internacional.

Assim, se preocupa com as caracterizações espaciais (como a parte física, rochas e água) relacionadas ao poder do Estado.

O termo surgiu com o geógrafo alemão Friedrich Ratzel (1804-1944).

Sua obra Geografia política, publicada em 1897, concebe o Estado como um organismo territorial, um “todo” constituído por elementos naturais e humanos indissociáveis.

Assim, segundo Ratzel, a função primordial do Estado seria a de mobilizar os indivíduos para a realização de um objetivo comum: a defesa e a organização do território.

O que é ciência política no direito?

A ciência política no direito estuda e analisa o Estado como uma sociedade política, juridicamente organizada para atender o bem comum.

Esse bem comum, conforme explica o jurista Dalmo de Abreu Dallari na obra “Elementos da Teoria Geral do Estado”, seria o “conjunto de todas as condições de vida social que consintam e favoreçam o desenvolvimento integral da personalidade humana”.

No campo do direito, o estudo da ciência política se justifica como forma de oferecer aos advogados e estudantes da área uma visão para além da aplicabilidade de leis e normas.

Afinal, garantir o referido bem comum impõe desafios de convivência que a base legal, sozinha, não dá conta.

É preciso estudar e compreender as relações existentes, o que inclui as instituições políticas.

Qual é o conceito de cidadania?

Qual é o conceito de cidadania?
Dois senhores, duas senhoras e uma jovem, posando para fotografia, em frente a uma piscina.

Cidadania (do latim civitas = cidade) diz respeito à prática dos nossos direitos e deveres perante o Estado.

Teoricamente, eles devem andar sempre juntos, uma vez que as atitudes humanas se inter-relacionam.

Sabe aquela história de que o seu direito acaba quando começa o direito do outro?

Como práticas sociais, portanto , é preciso obedecer a um equilíbrio para que todos os indivíduos possam ser respeitados, convivendo-se em grupo de forma harmoniosa.

Cidadania é um exercício diário de educação em sociedade.

Aliás, você sabia que a Declaração dos Direitos Humanos, proposta pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1948, é um marco inspirador de princípios que priorizam a paz, a cidadania e a democracia no mundo?

O respeito aos direitos e às liberdades individuais e coletivas é a base da declaração.

E isso tem tudo a ver com política.

Qual é o conceito de democracia?

Democracia é uma palavra de origem grega (demos = povo e kratos = poder).

Trata-se de um regime, cuja soberania é exercida pelo povo.

Ou seja, por um conjunto de cidadãos que exerce o controle político porque escolhe seus governantes através do voto.

Vencem os que obtêm a maioria, representando, assim, a vontade dos governados.

Na democracia, há fundamentos básicos que caracterizam princípios de organização política e social, como a liberdade do indivíduo, inclusive de opinião e expressão, e a igualdade de direitos e oportunidades.

Um governo pode ser democrático liberal e a democrático social, sendo exercido de forma direta (voto direto dos cidadãos) ou representativa (através da eleição de representantes).

  • Democracia liberal: não há restrições ou interferência do estado, tendo cidadãos e organizações financeiras total liberdade para firmarem contratos entre si.
  • Democracia social: ao contrário, nesse tipo de democracia, é o estado que exerce total controle nas questões economico-financeiras, e também interfere na produção para atender às respectivas demandas de consumo.

O que é a política social?

Política social pode ser entendida como a política pública destinada ao bem-estar geral da população.

Porém, com caráter distributivo, voltada principalmente às camadas de menor renda da sociedade, em situação de pobreza ou pobreza extrema.

Essa é uma abordagem que visa, principalmente, o desenvolvimento econômico, a eliminação da referida pobreza, a redução da desigualdade econômica e a redistribuição de riqueza e renda.

De modo geral, são consideradas políticas sociais todas as intervenções públicas nas áreas de:

  • Seguridade social – políticas sociais, cujo fim é amparar e assistir o cidadão em situações como a velhice, e a doença
  • Saúde – gastos com saúde são políticas governamentais para distribuir renda
  • Educação – intervenções no campo educacional – são as políticas educacionais
  • Emprego – ações para corrigir as distorções do mercado, como o Sistema Nacional de Emprego e o seguro-desemprego
  • Saneamento – serviços de água e esgoto, manejo de resíduos sólidos e o controle de pragas
  • Habitação – políticas voltadas à diminuição dos déficits habitacionais, são as políticas habitacionais
  • Estrutura fundiária – políticas voltadas à questão da terra, como a reforma agrária.

Qual a importância da ciência política no nosso dia a dia?

Qual a importância da ciência política no nosso dia a dia?
Mão de um homem segurando um mapa mundi em globo

Depois de tudo o que você leu até aqui, já deve ter a sua opinião sobre a importância da ciência política no nosso dia a dia.

Mas vamos destacar alguns pontos que não podem passar em branco.

O valor da ciência política é inegável, até mesmo porque, a partir de seus estudos e contribuições, fica muito mais fácil entender os períodos de crise, como acontece ao compreendermos as raízes das nossas dificuldades coletivas de relacionamento.

A ciência política esclarece o entendimento das instituições de poder existentes.

Se somos seres que vivemos em sociedade, conhecer melhor como se apresentam essas relações permite que nosso convívio seja mais consciente em relação à nossa própria história e cultura.

Se somos “animais políticos”, como definiu Aristóteles, porque não vivemos isolados, somos parte dessa grande estrutura social e econômica.

Dessa forma, é preciso saber qual o nosso papel na manutenção ou transformação dessas relações, o que implica no desfrutar de uma vida mais ou menos responsável, participativa, justa e feliz.

Conclusão

A ciência política surgiu em um momento histórico, no qual o progresso científico começava a ganhar cada vez mais importância, em meados do século 19.

Desde então, se desenvolveu como disciplina e instituição para que pesquisadores com esse formação pudessem se dedicar ao estudo dos fenômenos e das estruturas políticas.

Seu campo de atuação é amplo e o mercado de trabalho é promissor.

E para se tornar um cientista político de sucesso, o primeiro passo você deu aqui, com as informações que adquiriu ao longo da leitura.

Importante lembrar sempre que a palavra ciência se diferencia da ideia de “opinião”.

Sendo assim, estudar cientificamente a política está além da construção de palpites ou de juízos que partam de dados imprecisos ou não apoiados em fatos e provas.

Por isso, essa disciplina foi e continuará sendo de grande importância no processo de compreensão da realidade em que vivemos.

Para saber mais sobre o assunto, vale a pena conhecer a Associação Brasileira de Ciência Política e visitar o seu site, além de comparecer a seus eventos.

E, como dica final, siga investindo em conhecimento e na sua formação.

No site da UPIS, você encontra uma ampla gama de cursos para fazer de você um profissional mais completo.

Aproveite para deixar seu comentário, compartilhar este artigo e, se desejar, fazer contato conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *