Posted in:

Enfermagem no centro cirúrgico: entenda o que faz e como é a formação

Sala de cirurgia de um hospital

Você já deve saber que os enfermeiros atuam em hospitais, clínicas ou em domicílio, no cuidado de pacientes que precisam de algum tipo de assistência, mas você conhece as outras funções da enfermagem no centro cirúrgico?

Nesse local, a dinâmica de trabalho deve ocorrer de forma fluida, multi e interdisciplinar.

Ou seja, é essencial que exista uma integração entre os profissionais que trabalham no centro cirúrgico para que todas as exigências sejam cumpridas.

Tudo para garantir a segurança e o bem-estar dos pacientes antes, durante e após a realização de procedimentos cirúrgicos.

Nesse sentido, as atividades de enfermagem se tornam indispensáveis, uma vez que esse profissional possui tarefas específicas dentro desse ambiente.

Então, se você quer entender mais sobre a atuação do enfermeiro no centro cirúrgico e conhecer como é a sua formação e o mercado de trabalho, está no lugar certo!

Neste artigo, vamos tirar todas as suas dúvidas sobre o tema. Boa leitura!

O que é o centro cirúrgico?

Enfermagem no centro cirúrgico, Enfermeira, em pé, em um centro cirúrgico
O que é o centro cirúrgico?

O centro cirúrgico é um setor restrito da instituição hospitalar, composto por diversas áreas que buscam prover condições adequadas para a realização de procedimentos anestésicos e cirúrgicos.

Por conta do acesso limitado, a área possui particularidades na sua estrutura física, que devem atender todas as normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ou seja, além dos blocos cirúrgicos, o ambiente necessita de locais de apoio, como:

  • Salas para armazenagem de equipamentos e cilindros
  • Vestiários com banheiros
  • Área administrativa
  • Laboratório
  • Copa
  • Sala de espera
  • Espaço de estar e descanso para funcionários
  • Depósito para cadeiras de rodas e macas.

Além disso, é de grande importância que o centro cirúrgico seja bem localizado no hospital e próximo às áreas de internação, pronto-socorro, centro de terapia intensiva e unidade coronariana.

Também deve ter acesso facilitado a unidades de suporte, como farmácia, lavanderia, raio-X e central de material esterilizado, dentre outros.

Dividido em três áreas, o centro cirúrgico possui um rígido controle de infecções.

São elas:

  • Área irrestrita: local em que os profissionais podem circular livremente e com roupas próprias. É composto pela secretaria, vestiários, área de transferência, corredor de entrada, etc.
  • Área semi restrita: espaço que permite a circulação dos profissionais de modo que não interfira na rotina de controle e manutenção da assepsia da área restrita. Normalmente, fazem parte dessa área as salas de estar e descanso e de preparo do material
  • Área restrita: ambiente em que é obrigatório o uso de roupa própria do centro cirúrgico, máscaras e gorros – seguindo as normas e as técnicas de assepsia para diminuir o risco de infecções. São as salas cirúrgicas, de recuperação pós-anestésica e corredor interno.

Unidade de bloco cirúrgico

O bloco cirúrgico é o local onde ocorre a cirurgia e, portanto, necessita de mais atenção com relação à assepsia e antissepsia.

Esse espaço conta com a mesa cirúrgica, mesas para colocação do material instrumental, equipamentos de anestesia e de respiração conectados à rede de gases, mesas de apoio para enfermagem e anestesia, foco de luz e outros equipamentos específicos.

Unidade de recuperação pós-anestésica

Esta é a área em que o paciente permanece logo após o término da cirurgia.

Nesse ambiente, o anestesista é o principal profissional responsável, mas ele conta com o apoio das equipes de enfermagem e médica para realizar o acompanhamento e prezar pelo bem-estar pós-operatório do paciente.

Em certos casos – quando são realizadas operações de alta complexidade – a recuperação pós-anestésica pode ocorrer nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

Centro cirúrgico ambulatorial

O centro cirúrgico ambulatorial é um espaço com salas de operação e salas para pequenos procedimentos, destinadas à operações de baixa complexidade.

Centro de Material e Esterilização

Área responsável pela limpeza e pelo processamento de todos os artigos e instrumentos médico-hospitalares utilizados no hospital.

É nele que acontece o controle, preparo, esterilização e distribuição desses materiais.

Nesse sentido, o Centro de Material e Esterilização (CME) pode ser classificado em três tipos:

  • Descentralizado: cada unidade é responsável por preparar e esterilizar os materiais que utiliza
  • Semi centralizado: prepara os materiais da sua área, mas a esterilização de todos os instrumentos ocorre em um único local
  • Centralizado: quando todos os materiais do hospital são preparados e esterilizados em um mesmo CME.

Lavabo

O lavabo é o espaço que fica anexo à Sala de Operação (SO) para que a equipe cirúrgica possa realizar a escovação das mãos e antebraços antes de entrar no bloco.

Ele é essencial para a assepsia dos profissionais e contribui para evitar a ocorrência de contaminações durante os procedimentos.

Área de transferência

Além do local de entrada e saída dos pacientes, é também o espaço onde ocorre a troca de macas – a equipe do centro cirúrgico retira a pessoa da maca da enfermaria e transfere para a da cirurgia.

O seu principal objetivo é impedir que aconteça qualquer tipo de contaminação do ambiente cirúrgico por meio das rodas das macas das unidades de internação.

Expurgo

Esta é uma área específica para o recebimento, limpeza, desinfecção e armazenagem de todos os materiais e objetos utilizados no centro cirúrgico.

Do expurgo, esses materiais são transferidos ao Centro de Materiais e Esterilização para que sejam manuseados de forma correta, esterilizados e acondicionados.

Função do enfermeiro no centro cirúrgico

Enfermagem no centro cirúrgico, Enfermeira, em pé, em um centro cirúrgico
Função do enfermeiro no centro cirúrgico

A principal função de um enfermeiro no centro cirúrgico é prestar assistência ao paciente.

Mas engana-se quem acredita que a atuação desse profissional se restringe a isso.

Além da assistência, o enfermeiro no centro cirúrgico também pode realizar atividades administrativas que contribuem para que o setor funcione perfeitamente e de forma eficaz.

Nesse sentido, podemos dizer que o enfermeiro possui duas funções principais: a assistência (que destacaremos mais à frente) e a gerencial.

A segunda opção envolve a organização de todos os recursos humanos e materiais necessários para o suporte da atividade.

Portanto, é um profissional que pode atuar com a gestão da equipe – sendo um enfermeiro coordenador.

Neste caso, ele é responsável por:

  • Gerenciar a equipe de enfermagem do centro cirúrgico, garantindo a capacitação contínua e promovendo o desenvolvimento e o aprimoramento do time
  • Manter a equipe sempre alinhada às normas, rotinas e procedimentos da organização
  • Realizar a previsão, a provisão e o controle de materiais, anestésicos e medicamentos do setor
  • Garantir o uso correto de todos os equipamentos e instrumentais
  • Organizar as escalas mensais de toda a equipe
  • Coordenar e supervisionar as atividades assistenciais prestadas
  • Certificar-se de que todos os procedimentos realizados no centro cirúrgico sigam os princípios éticos
  • Implementar e verificar as medidas de segurança para pacientes e profissionais
  • Prover o conforto de todos – equipe e paciente.

Já o enfermeiro que atua diretamente com a assistência ao paciente possui um papel que vai muito além do auxílio durante o horário da cirurgia.

Isso porque ele atua no pré, intra e pós-operatório, realizando atividades mais operacionais, como veremos a seguir.

Assistência de enfermagem no centro cirúrgico

A assistência de enfermagem no centro cirúrgico consiste no cuidado integral do paciente.

Ou seja, o enfermeiro assume a responsabilidade por realizar todos os cuidados necessários para o bem-estar e a recuperação da pessoa atendida.

Inicialmente, ele é o responsável pela abordagem pré-operatória.

É neste momento que o profissional conhece o paciente, avalia suas condições físicas e emocionais e começa a construir uma relação de confiança para identificar as principais necessidades a serem atendidas.

É ele quem atua não apenas no atendimento direto ao paciente, mas também no seu preparo psicológico.

Portanto, é essencial que esse profissional tenha uma abordagem calma, otimista e compreensiva, principalmente para entender quais são as principais aflições do paciente e tomar as medidas necessárias para acalmá-lo.

No pré-operatório, o enfermeiro também é responsável pelo preparo físico do paciente.

Esta etapa engloba:

  • O preparo inicial (realização de exames pré-operatórios): o profissional auxilia na explicação dos procedimentos, na coleta de materiais, na manutenção de jejum, na aplicação de medicamentos, soro ou sangue, na realização de controles, na tomada de sinais vitais e diurese e na observação de sinais e sintomas, além de realizar anotações
  • Preparo na véspera da cirurgia (limpeza e desinfecção): o enfermeiro verifica os dados da cirurgia, checa os pedidos e preparos especiais, providencia a coleta de materiais, observa sintomas, realiza a limpeza do paciente e o preparo da pele para a cirurgia, acompanha a alimentação, planeja a lavagem intestinal ou gástrica, acompanha o jejum, orienta o paciente e preza por um ambiente calmo e sereno
  • Preparo físico no dia da cirurgia: é o momento de averiguar se todos os cuidados foram tomados e as preparações realizadas corretamente. Também de remover próteses e joias, controlar o pulso, a temperatura, a respiração e a pressão arterial, administrar a medicação pré-anestésica, ajudar o paciente a passar para a maca e encaminhá-lo ao centro cirúrgico

Já durante o procedimento, novas funções se somam à enfermagem no centro cirúrgico.

O enfermeiro pode atuar em duas funções para auxiliar a equipe médica:

  • Instrumentação: responsável por dar apoio ao médico cirurgião com os instrumentais
  • Circulantes: ajuda com a esterilização das roupas utilizadas pela equipe de cirurgia e armazena biópsias no local correto para o envio ao setor de análises, além de seguir orientações médicas, quando necessário.

Por fim, no pós-operatório, o enfermeiro realiza o acompanhamento da recuperação do paciente até o momento de sua liberação médica.

Nessa etapa, a assistência desse profissional é essencial para normalizar as funções do paciente com conforto, e de forma rápida e segura.

O profissional de enfermagem cuidará para que o recém-operado receba todas as medicações nos horários certos. Também realizará a troca de curativos e auxiliará na higiene.

Além disso, ele é responsável por manter o prontuário do paciente atualizado.

Para isso, deve ainda observar a ocorrência de qualquer sintoma atípico e controlar os sinais vitais.

Cuidados de enfermagem no centro cirúrgico

Além de dar suporte ao paciente, o enfermeiro também cuida do centro cirúrgico como um todo.

É ele o responsável por certificar que a sala de operação esteja preparada, esterilizada e com todo o instrumental necessário disponível para a realização do procedimento.

O enfermeiro ainda atua no cuidado do leito no qual o paciente será acomodado, avaliando sua limpeza e esterilização tanto no pré, quanto no pós-operatório.

Além disso, ele promove toda a comodidade necessária ao paciente no leito, seja o movimentando, fornecendo travesseiros ou ajudando na higienização.

O profissional que atua no Centro de Materiais e Esterilização, por sua vez, cuida para que todos os equipamentos e instrumentais estejam em perfeitas condições de uso.

Pós-graduação de enfermagem no centro cirúrgico

Enfermeiros auxiliando em cirurgia
Pós-graduação de enfermagem no centro cirúrgico

O profissional de enfermagem que deseja atuar no centro cirúrgico pode investir em uma pós-graduação na área.

E uma das melhores opções está na UPIS – Faculdades Integradas.

Com a especialização em Enfermagem em Centro Cirúrgico, o profissional é qualificado quanto a tecnologias e procedimentos e gestão de pessoas, materiais e recursos.

Também aprende sobre segurança e acompanhamento de indicadores de produção e qualidade, tanto na atuação no centro cirúrgico quanto no Centro de Material e Esterilização.

Por este motivo, a pós-graduação é interdisciplinar e conta com matérias voltadas não apenas para a atuação no centro cirúrgico, mas também para a realização de funções gerenciais.

O curso é ofertado nas modalidades presencial ou a distância, e tem duração de cerca de 430 horas.

Grade curricular

Como vimos, a pós-graduação de Enfermagem no Centro Cirúrgico possui uma grade curricular bastante ampla e interdisciplinar.

Confira agora algumas das principais matérias do curso:

  • Formação de líderes
  • Princípios, gestão do Sistema Único de Saúde e a criação de protocolos aplicados na área da saúde
  • Compreendendo a vigilância epidemiológica na área de saúde
  • Educação e ética na assistência à saúde
  • Aplicação da sistematização da assistência de enfermagem e o registro no prontuário do paciente
  • Gerenciamento na Área de Centro Cirúrgico e Central de Material e Recuperação Anestésica
  • Controle de biossegurança e controle de infecção no Centro Cirúrgico
  • Diagnóstico e intervenção de enfermagem no período pré-operatório
  • Diagnóstico e intervenção de enfermagem no período intraoperatório
  • Diagnóstico e intervenção de enfermagem no período pós-operatório
  • Cuidados para a alta
  • Complicações na assistência ao paciente cirúrgico – prevenção, diagnóstico e intervenção
  • Prática
  • Humanização da assistência
  • Saúde preventiva e promoção da saúde
  • Aspectos históricos, legais e bioéticos em Centro Cirúrgico
  • Serviço de enfermagem na gestão de qualidade.

Além de matérias práticas sobre manuseio, esterilização e preparação de equipamentos e conhecimentos sobre protocolos da Organização Mundial de Saúde (OMS), o aluno também é submetido à avaliação de risco anestésico.

E, claro, tem ainda o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC).

Possibilidades de mercado

Enfermeiros auxiliando em cirurgia
Possibilidades de mercado

O profissional que finaliza uma pós-graduação em enfermagem no centro cirúrgico, termina o curso apto a:

  • Analisar não só os aspectos teóricos, mas também práticos sobre a atuação do enfermeiro no centro cirúrgico, na recuperação anestésica e no Centro de Material e Esterilização
  • Reconhecer as três áreas da Enfermagem Perioperatória
  • Dar assistência ao paciente cirúrgico em todas as etapas: período transoperatório, durante a cirurgia, pós-operatório e recuperação
  • Prestar assistência indireta ao paciente durante sua atuação no Centro de Material e Esterilização
  • Ter raciocínio crítico nas três áreas que envolvem a atuação do enfermeiro.

Dessa forma, o profissional pós-graduado nessa especialidade possui uma área de atuação mais abrangente. Fato este que permite uma possibilidade maior de trabalho no mercado.

Sendo o responsável por cuidar das pessoas, o enfermeiro de centro cirúrgico atua principalmente em hospitais.

Nesse sentido, ele pode trabalhar com a preparação de instrumentos, auxiliar a equipe técnica durante procedimentos – intubação, aspiração, monitoramento cardíaco -, atuar na prevenção e no controle de infecções, preparar e realizar exames, atualizar prontuários e supervisionar a equipe de enfermagem.

Além de também atuar com a organização e higienização de materiais e equipamentos, administrar medicamentos, controlar a alimentação e tomar decisões rápidas.

Ou seja, é um profissional preparado para assumir funções distintas.

Mas, além do trabalho em hospitais, o profissional especializado em centro cirúrgico ou na Central de Materiais e Esterilização pode seguir carreira docente ou tornar-se funcionário em postos e centros de saúde.

Isso porque, como vimos, essa especialização permite ao enfermeiro atuar não apenas com o cuidado de pacientes cirúrgicos, mas também com a gestão hospitalar, de equipes e de setor.

Conclusão

O profissional de enfermagem no centro cirúrgico possui uma atuação extremamente importante.

Muito mais do que apenas auxiliar durante os procedimentos cirúrgicos, ele é essencial para o cuidado e a assistência do paciente no pré, intra e pós-operatório.

Além disso, possui um papel estratégico na área, já que é o responsável por avaliar e garantir a limpeza e a esterilização não apenas dos ambientes, mas também de todos os equipamentos e materiais.

Nesse sentido, ele possui dois tipos de atuação: a assistencial – que preza pelo cuidado com o paciente – e a gerencial – que é muito mais administrativa e de gestão.

O profissional de enfermagem que deseja atuar na área possui um mercado de trabalho amplo e bastante valorizado.

Mas, para isso, este profissional precisa investir em formação, conhecimento e atualização.

Isso porque a enfermagem é uma área que está em constante transformação e é essencial que o enfermeiro esteja apto a encarar todos os desafios cotidianos dessa profissão.

Nesse sentido, o curso de pós-graduação da UPIS para atuar no centro cirúrgico e no centro de material e esterilização é um grande diferencial.

Ele conta com uma grade curricular interdisciplinar, que prepara o profissional para trabalhar nas duas vertentes.

Com disciplinas voltadas para a prática da enfermagem em cirurgias e nas atividades pós, intra e pré-operatórias, além de disciplinas de gestão, forma profissionais completos.

E, se você se interessa pela área e deseja se especializar, conheça o curso de pós-graduação em Enfermagem em Centro Cirúrgico da UPIS!

Caso ainda tenha alguma dúvida, aproveite para entrar em contato conosco. Estamos à disposição para responder todos os seus questionamentos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *