Posted in:

Feedback: O que é e como aplicar na empresa (com modelos prontos)

mulher, em pé, segurando um celular

Quem nunca deu ou recebeu um feedback – seja ele positivo ou negativo?

Receber um incentivo e saber que está no caminho certo é sempre bom, não é mesmo?

Mas a validade do instrumento se aplica também quando podemos corrigir falhas e maximizar a performance.

Essa importante ferramenta que reconhece a importância do trabalho e do esforço do outro pode ser um grande diferencial no atual mercado.

Além de motivar, o feedback ajuda a reter talentos, desenvolver as equipes e, com isso, melhorar a produtividade, reduzir custos e contribuir para o alcance dos objetivos organizacionais.

Que empresa que não gostaria disso?

No Brasil, já são muitas as organizações que descobriram e passaram a aproveitar todo o potencial dessa ferramenta.

Uma pesquisa da Top Employers apontou que todas as empresas brasileiras que participaram do estudo treinam seus gerentes para realizar feedbacks com suas equipes.

Esse resultado deixou o Brasil na frente de países como França, Itália e Reino Unido.

Neles, 79%, 87% e 90% das empresas possuem consciência sobre a importância do feedback.

Quer aprender mais sobre essa ferramenta e descobrir como aplicá-la em sua empresa? Então, este artigo é para você.

Fique atento às nossas dicas e boa leitura!

O que é feedback em uma empresa?

O feedback em uma empresa é uma ferramenta de avaliação que consiste no fornecimento de uma análise sobre determinada tarefa ou comportamento de um colaborador ou equipe, do seu resultado final e desempenho de execução.

Normalmente, ela está relacionada às avaliações de desempenho nas organizações.

É o momento em que se fala o que a empresa espera dos colaboradores, pontos de destaque na sua atuação e o que deve ser melhorado, quais os ajustes necessários, além de ser um momento para rever condutas e traçar metas.

Ou seja, é uma ferramenta que permite corrigir falhas, implementar melhorias, otimizar processos e, consequentemente, trazer um aperfeiçoamento individual e organizacional.

Qual a importância do feedback para as empresas e equipes?

Mulher, em pé, segurando um notebook, conversando com um rapaz sentado
Qual a importância do feedback para as empresas e equipes?

Ter reconhecimento no trabalho é essencial para manter a motivação das equipes e, com isso, consiga que a sua empresa continue a crescer.

Como uma pessoa continuará a trabalhar sem ter um retorno se o que ela está fazendo é certo ou se está realmente trazendo resultados?

É exatamente nisso que o feedback atua.

Essa ferramenta permite que a empresa dê um retorno para as suas equipes sobre o andamento dos seus trabalhos.

E também possibilita a ela saber o que seus clientes, fornecedores e investidores pensam a respeito de sua atuação no mercado.

Saber receber críticas e elogios é essencial para qualquer pessoa, seja ela um funcionário ou dono de empresa.

Isso porque são esses retornos que permitem crescer, corrigir deficiências, reforçar os pontos fortes, descobrir novas características e se destacar.

Quando falamos sobre feedback dentro das empresas, é importante que ele seja feito como uma forma de incentivo, possibilitando identificar e corrigir falhas, melhorando a produtividade.

Além de ser uma excelente ferramenta para engajar e motivar as equipes, pois, com isso, elas se sentirão parte de um todo e trabalharão na busca de um mesmo objetivo.

Os 4 tipos de feedback

feedback, Mão de um homem segurando uma caneta e gesticulando para uma mulher
Os 4 tipos de feedback

Que o feedback é uma ferramenta importante para gestores e colaboradores, isso você já sabe.

Mas, para que seja produtiva, ela precisa ser utilizada de forma madura.

Ou seja, é necessário que tanto quem irá dar quanto quem irá receber o feedback tenha inteligência emocional para passar ou absorver os insights gerados.

Agora, iremos destacar quatro dos principais tipos de feedback existentes. Confira!

1. Feedback positivo

O feedback positivo não é simplesmente elogiar o colaborador.

Ele consiste em reforçar uma ação ou atitude que a empresa e o gestor acreditam ser importantes que o funcionário realize novamente.

É um tipo de retorno essencial para manter o funcionário motivado, já que representa uma palavra de apoio que exalta algo que está sendo bem feito no dia a dia.

Ele representa um estímulo ou resposta positiva que busca destacar as qualidades de uma pessoa ou equipe, principalmente quando eles alcançam os resultados esperados pela organização.

Normalmente, está relacionado ao comportamento do funcionário, sendo um reconhecimento por uma atitude dele, um momento em que ele foi proativo em determinada situação ou para destacar o bom desempenho em suas atividades.

Ou seja, o feedback positivo pode ser desde um simples elogio até uma avaliação mais longa.

2. Feedback negativo

Esse tipo de feedback já é aquele que ninguém gosta de receber, mas que, muitas vezes, pode ser extremamente necessário e contribuir com o seu aperfeiçoamento.

O feedback negativo não consiste em xingar uma pessoa ou colocá-la para baixo – longe disso, na verdade.

Ele tem o objetivo de apontar para um colaborador ou equipe porque o trabalho ficou abaixo do esperado e não alcançou o objetivo proposto.

Pode ser com relação ao trabalho em si ou ao comportamento do funcionário.

Nesse sentido, é importante que esse seja um retorno em que fique claro quais são os elementos que devem ser melhorados e trabalhados para que a pessoa saiba exatamente em quais pontos ela deve estar mais atenta daqui para frente.

O ideal é que esse tipo de feedback aconteça em um ambiente mais reservado para que a pessoa não se sinta constrangida ou exposta para os colegas.

E também para que não sejam criados ou potencializados conflitos internos na empresa.

O importante aqui é ter em mente que qualquer tipo de feedback tem como objetivo principal a melhoria pessoal ou profissional.

3. Feedback assertivo

No caso do feedback assertivo, ele é aquele retorno que tem como objetivo ajudar o colaborador ou a equipe a potencializar a sua performance para atingir metas e objetivos de forma mais ágil.

Ou seja, é um tipo de feedback positivo, mas mais voltado para resultados organizacionais.

Nesse sentido, ele busca apontar quais os pontos fortes e os de melhoria dos funcionários para que eles possam crescer e se desenvolver dentro da empresa, otimizando suas atividades e, com isso, melhorando os resultados.

Não é simplesmente apontar erros e acertos, mas auxiliar no desenvolvimento desse colaborador para que ele consiga evoluir.

Dessa forma, o feedback assertivo permite um maior engajamento dos funcionários, aumenta a motivação e, consequentemente, a produtividade.

4. Feedback construtivo

Já o feedback construtivo agrega elementos do positivo e do negativo.

Ele acontece quando existe uma situação que pode ser melhorada e você se dispõe em ajudar – seja colocando a mão na massa ou repassando conhecimento.

É uma crítica pontual, mas que, ao mesmo tempo, traz uma solução para resolver o problema.

Muitos consideram que esse é o tipo ideal de feedback, principalmente para as pessoas que possuem mais dificuldade em lidar com comentários negativos.

Consiste em uma abordagem que permite ao gestor se colocar na posição do outro, de forma empática, podendo auxiliar para que entenda a sua visão.

Isso suaviza a avaliação negativa ao indicar um caminho a ser seguido e ainda permite ressaltar os pontos positivos, mostrar o que está dando certo.

Passo a passo de como fazer um bom feedback

feedback, imagem de um emoji triste e uma seta apontando para um emoji feliz
Passo a passo de como fazer um bom feedback

Para dar um bom feedback, independente do tipo, é importante lembrar ter em mente duas questões importantes:

  1. É sempre melhor realizá-lo presencialmente
  2. A comunicação é uma via de mão-dupla.

Ou seja, esteja disposto a falar, mas também em escutar as percepções e preocupações alheias.

Para auxiliar você na tarefa de realizar um feedback, preparamos um passo a passo.

Confira!

Como dar um feedback positivo

Não é somente elogiar, pois ele precisa ser embasado em dados.

Veja quais passos seguir para dar um feedback positivo:

  1. Nunca guarde o elogio para depois. Sempre que você vir uma ação que vale destacar, um comportamento interessante ou a melhoria no desempenho de um funcionário, aponte isso imediatamente
  2. Seja sempre claro e objetivo no momento de dar um feedback positivo
  3. Elogiar logo após apontar algo negativo para amenizar a situação é um tiro no pé, pois acaba confundindo o colaborador
  4. Não hesite em elogiar alguém na frente dos colegas – isso faz com que ele se sinta prestigiado e estimula o restante da equipe
  5. Sempre mostre ao colaborador o impacto que a sua atitude positiva teve dentro da empresa. Isso o motivará a crescer e se desenvolver ainda mais.

Exemplo de feedback positivo

“Lucas, seus relatórios são bastante completos e assertivos, tanto que você tem até recebido elogios de outras áreas! Parabéns!”

Como dar um feedback negativo

Dar um feedback negativo exige respeito e sinceridade.

Veja algumas dicas:

  1. Prepare-se com antecedência, reúna os fatos e anote os argumentos que irão justificar o retorno negativo
  2. Mostre ao funcionário aquelas funções que ele vem executando bem e apresente as que estão abaixo da expectativa. Assim, ficará mais fácil para ele entender quais aspectos podem ser melhorados
  3. Seja claro e explique de forma objetiva para evitar dúvidas
  4. Apresente ao colaborador o que ele poderia ter realizado de uma maneira diferente
  5. Utilize os dados coletados anteriormente para mostrar o quanto ele colaborou com a empresa
  6. Ouça o funcionário e entenda as suas justificativas, pois isso permitirá direcioná-lo da melhor forma
  7. Explique o que espera do futuro e apresente novas metas.

Exemplo de feedback negativo

“Maria, percebi que as entregas dos seus relatórios têm atrasado todos os meses e isso tem prejudicado os departamentos que precisam dessas informações para realizar as suas tarefas. O que tem acontecido? Existe algo que possamos fazer para te auxiliar nesse sentido? Acredito que podemos melhorar nesse quesito, então, vamos estipular a meta de ajustar as datas no próximo mês e reorganizar o fluxo.”

Como dar um feedback assertivo

Esse tipo de feedback pode dar um pouco mais de trabalho, mas é recompensador para os resultados.

Confira os principais passos:

  1. É importante que o gestor ou líder, primeiramente, reúna todas as informações possíveis sobre aquele funcionário
  2. Com esses dados em mãos, faça uma lista dos pontos positivos e dos comportamentos e resultados que merecem destaque
  3. Em seguida, veja como as atitudes desse funcionário colaboraram para o bom andamento da empresa e, finalmente, o que pode ser melhorado
  4. Ao final, auxilie para que ele possa se desenvolver e crescer profissionalmente e dê motivos para ele correr atrás das melhorias.

Exemplo de feedback assertivo

O seu texto para a revista institucional ficou muito bom! Tivemos ótimos feedbacks dos leitores sobre a matéria e a diretoria gostou muito. No próximo conteúdo, acredito que seu desafio será conseguir amarrar melhor a conclusão, ok? Gostei de ver o seu esforço e o resultado. Bom trabalho!”

Como dar um feedback construtivo

Como vimos, o feedback construtivo é aquele em que você aponta algo a ser melhorado, mas traz uma solução para resolver o problema.

Nesse caso, a abordagem é um fator crucial para que ele seja bem-sucedido.

Então, siga estes passos:

  1. Defina o propósito, o que você deseja alcançar com aquele feedback
  2. Junte os fatos ocorridos: datas, impactos
  3. Seja empático
  4. Seja breve – não prolongue o repasse
  5. Aponte dados sobre comportamento
  6. Finalize apresentando soluções e motivando o colaborador.

Exemplo de feedback construtivo

“Entendo perfeitamente a atitude que você precisou tomar. Sei que houveram alguns conflitos após isso, pois houve impacto no cronograma da produção. Será que, se você utilizar a abordagem prevista em nosso manual em uma próxima oportunidade, o resultado não será melhor? Não se preocupe, pois você está no caminho certo para alcançar ótimos resultados!”

7 Modelos de feedback para você usar na sua empresa

Caderno em cima de uma com a palavra feedback escrito
7 Modelos de feedback para você usar na sua empresa

Depois de conferir detalhes e exemplos de feedbacks, separamos modelos que você pode utilizar no dia a dia da sua empresa.

Veja quais são eles!

1. Feedback sanduiche

Possui esse nome, pois acontece em três camadas – ou etapas:

A primeira é o quebra-gelo, na qual o gestor ou líder faz um elogio ou destaca características positivas do colaborador para que ele esteja mais aberto para ouvir o restante do feedback.

A camada do meio consiste nos pontos a serem melhorados.

Normalmente, ela é feita em forma de pergunta, como: “Será que se você mudasse tal rotina, o resultado não poderia ser melhor?”

Já a última etapa é aquela que vai concluir o feedback, então, tem foco no futuro. Aqui, o importante é encorajar e motivar o colaborador.

Nesse tipo de feedback, é importante evitar usar palavras como “mas” e “porém” logo depois de destacar os pontos positivos, pois são preposições que anulam o que foi dito de positivo.

2. Feedback corretivo

É utilizado principalmente com aquelas pessoas que apresentam baixa performance.

O feedback corretivo aponta o problema a ser resolvido, demonstra o que o gestor sente em relação a ele, apresenta os impactos da ação e dá espaço para que a pessoa pense sobre o assunto e busque possíveis soluções.

Ou seja, é uma forma de mostrar os erros do colaborador, fazendo com que ele dê importância ao fato e, finalmente, dá a oportunidade para que ele possa melhorar.

Veja um exemplo:

  • Fato: Na terça e quinta-feira você chegou 30 minutos atrasado
  • Reação: Fiquei chateado em ver que isso aconteceu recorrentemente nesta semana
  • Impacto: A apresentação acabou atrasando, pois tivemos que aguardar a sua chegada. Com isso, todo mundo acabou ficando até depois do horário.
  • Solução: O que você acredita que pode fazer para que esse problema não aconteça novamente?

3. Follow-up

Muito conhecido como acompanhamento, o follow-up é uma ferramenta utilizada, basicamente, para monitorar a realização das tarefas e ver quais os resultados obtidos com o feedback.

Ele deve ser feito dentro de um período estipulado para que o gestor possa avaliar o que foi implementado, qual o status das tarefas acordadas durante o feedback, além de checar e validar os aprendizados que o colaborador teve nesse meio tempo.

Durante o follow up, é importante preferir realizar perguntas mais amplas ao funcionário para que ele possa refletir sobre o que foi feito e dar respostas mais conclusivas.

Dessa forma, é possível verificar de forma mais assertiva a sua evolução.

4. Feedback 360º

Derivado da avaliação de desempenho 360º, esse tipo de feedback é um modelo em que todas as pessoas que se relacionam com aquele colaborador podem avaliá-lo.

Nesse sentido, esse é um tipo de feedback extremamente diversificado, já que a pessoa que está sendo avaliada pode receber críticas, elogios, avaliações construtivas, entre outros.

Ou seja, é a junção de diversos pontos de vista.

5. Feedback Kudos

Muito utilizado para dar feedback positivo, esse modelo consiste basicamente na entrega de cartões de reconhecimento aos colaboradores que tiveram um bom desempenho.

Também recebem esses cartões aqueles funcionários que ajudaram no desenvolvimento da empresa e trouxeram bons resultados.

Ou seja, é uma forma de incentivo e motivação.

6. Feedback Wall

Esse é um modelo de feedback que foge bastante do tradicional.

Isso porque quem dá o feedback são os colaboradores e não os gestores ou líderes.

Ele funciona da seguinte forma: é fixado um quadro em um local determinado da empresa para que os funcionários possam opinar sobre a organização.

Esse quadro, normalmente, é separado em colunas, onde uma recebe os comentários positivos e a outra os negativos.

7. Feedback Canvas

Já o feedback Canvas é um modelo ideal para trabalhos em equipe.

Nele, a avaliação individual não importa, já que o desenvolvimento é coletivo.

Como funciona: é afixado um quadro na parede para que a equipe aponte as competências, os pontos positivos, os negativos e os de melhoria de cada um.

Em seguida, todos opinam sobre os colegas e é realizada uma classificação entre 1 e 7, onde o primeiro é tido como novato e o último como mestre.

Ao final, todos conversam para encontrar, em conjunto, soluções para conseguir aumentar a produtividade do grupo como um todo.

É um modelo onde não existe anonimato, principalmente em razão de a transparência ser algo essencial para que ele funcione.

Conclusão

Agora que você já descobriu todo o potencial do feedback e viu como ele fundamental para o bom andamento de qualquer ambiente empresarial, que tal colocá-lo em prática?

Seja por meio de feedbacks positivos, negativos, assertivos ou construtivos, o importante é realizá-lo da melhor forma possível.

Afinal, o objetivo é que o colaborador busque sempre melhorar o seu desempenho e crescer profissionalmente, trazendo bons resultados para ele e para a empresa.

Por isso, mais do que simplesmente apontar erros, é importante saber ouvir, conversar, apresentar soluções e identificar os pontos fortes de cada um.

Use o feedback para o seu benefício e alcance os seus objetivos organizacionais!

Você já utiliza essa ferramenta em sua empresa? Deixe seu comentário abaixo e nos conte a sua experiência.

One Comment

Leave a Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *