Posted in:

Hotelaria e turismo: veja o que é, a diferença e o mercado de trabalho

Turismo e Hotelaria

Para quem gosta de lidar com pessoas, conhecer gente nova de vários lugares do mundo, domina outros idiomas e se amarra em viagens, os cursos de hotelaria e turismo podem ser boas sugestões de carreiras a serem seguidas.

Além disso, são mercados promissores e podem servir de base para você investir em um projeto de empreendedorismo na área.

Mas, ainda que sejam profissões relacionadas, as duas possuem suas diferenças. E compreender quais são elas é fundamental para fazer uma escolha mais assertiva.

Afinal, estamos falando de uma decisão importante e que vai acompanhar você durante toda a sua trajetória profissional.

Quer saber mais sobre hotelaria e turismo? Então, este artigo pode ser relevante para você.

Boa leitura!

O que é hotelaria e turismo?

Homem de terno preto em uma recepção de hotel
O que é hotelaria e turismo?

O primeiro passo para entender melhor sobre do que se trata cada um dos dois cursos é partir logo para as suas respectivas definições.

Assim, fica mais fácil traçar alguns paralelos e sublinhar bem as principais diferenças.

Está pronto? Então, vamos lá!

Hotelaria

Como o próprio nome já sugere, o curso de hotelaria está ligado à administração de hotéis, pousadas, spas, resorts, hostels e outros tipos de acomodações de pessoas.

Mas se engana quem pensa que o profissional da área lida somente com questões relacionadas à hospedagem em si.

Na prática, ele é responsável por todos os processos que visam garantir o ótimo funcionamento do estabelecimento em questão.

Logo, a sua atuação compreende funções e serviços como alimentação, lazer, acomodação, recreação, bem como a contratação dos profissionais responsáveis por essas atividades.

Além dessas atribuições básicas, um hoteleiro tem que lidar com questões logísticas, o que inclui o contato com fornecedores e tarefas complementares, como aluguel da própria infraestrutura para eventos, por exemplo.

Turismo

Já o turismo é uma área muito mais ampla, que lida, entre outras questões, mais com o planejamento e a organização de roteiros turísticos.

Um turismólogo pode ser funcionário em uma agência de viagens, ser guia, ter o seu próprio negócio ou trabalhar para o governo.

Mas, seja qual for o seu ramo de atuação, ele vai precisar dar destaque a determinadas atrações que valorizem aspectos históricos e culturais de dada localidade, seja país, região, estado ou cidade.

Existe ainda a possibilidade investir em uma carreira acadêmica, ensinando outras pessoas sobre metodologias e técnicas da profissão.

A diferença entre hotelaria e turismo

De maneira bastante simples, poderíamos resumir que a hotelaria faz parte do turismo, sendo um dos tantos braços que compõem o segmento.

Logo, somente por esse fator, já não é possível considerar os dois ramos como sinônimos. Mas há diferenças que valem ser citadas.

Conforme já mencionado, os serviços de hotelaria, de alguma forma, estão relacionados com a hospedagem, o que não impede o estabelecimento de, por exemplo, fazer parcerias com agências de viagens para realizar parceiros turísticos.

A partir desse momento, portanto, entra o trabalho de um turismólogo que vai programar um roteiro para os hóspedes do hotel.

Outro exemplo interessante se dá em convenções ou eventos profissionais.

Digamos que um spa oferece as suas instalações e toda a sua infraestrutura para receber um workshop de uma grande empresa.

Nesse caso, toda a logística vai ser feita pelo pessoal da hotelaria em conjunto com os profissionais da organização em questão.

Um turismólogo, aqui, não teria muita serventia porque não se trata de um evento cultural ou turístico e sim voltado para um público específico, que talvez nem deixe as dependências do próprio hotel.

Por outro lado, se a estadia for mais extensa, esse profissional poderia indicar e realizar passeios para mostrar aos colaboradores os locais mais históricos da cidade, por exemplo.

O que faz o profissional de hotelaria e turismo?

Hotelaria e turismo, Mulher, em recepção de hotel, falando ao telefone
O que faz o profissional de hotelaria e turismo?

Para compreender bem a diferença entre as duas profissões, que tal simularmos uma viagem e ver quais atribuições cabem a cada área?

Vamos supor que você vai tirar férias no mês que vem, quer viajar, possui um orçamento “x”, mas não sabe qual destino ir.

Então, o que você faz? Vai até uma agência de viagens e estuda as suas possibilidades de acordo com as suas preferências e a sua verba.

Chegando lá, muito provavelmente, você vai conversar com um turismólogo que vai fornecer todas as informações que precisa, como: melhores destinos, passagens aéreas mais baratas, principais hotéis (sim, ele pode indicar hospedagens) e passeios.

Feito isso, você fecha um pacote com essa empresa e, agora, é só esperar a data de embarque.

Quando o grande dia chegar, você vai até o destino e alguém da agência ou parceiro estará lhe aguardando para o transfer até o hotel.

É possível, inclusive, que essa pessoa também seja formado em turismo e seja o responsável pelos passeios que você fará enquanto durar a sua estadia.

Por falar em estadia, logo que você entrar em sua pousada, um profissional formado em hotelaria vai recepcioná-lo, informar como funcionam as normas da casa e quais são os serviços oferecidos (alimentação, academia, piscina, sala de jogos, entre outros).

Daí em diante, todos os assuntos relacionados com a hospedagem, você vai se dirigir à hotelaria, enquanto questões ligadas a passeios e roteiros ao turismo.

9 características do profissional de Hotelaria e Turismo

Hotelaria e Turismo, recepção de um hotel
9 características do profissional de Hotelaria e Turismo

Com suas semelhanças e diferenças, a verdade é que tanto hotelaria quanto turismo são profissões que, entre outras particularidades, lidam diretamente com o público.

Logo, quem deseja seguir essa carreira deve ter um certo tipo de perfil.

Se esse é o seu caso, separamos nove características que todo o profissional desses dois segmentos precisa ter ou desenvolver. Confira:

1. Simpatia

Sabe aquela máxima que um sorriso vale mais do que mil palavras? Pois é, nas profissões de turismo e hotelaria, ela se aplica muito bem.

Ser simpático seja com os turistas ou com os hóspedes é requisito básico para quem deseja seguir essa carreira.

Além de ser uma forma de demonstrar satisfação pela atividade que está desempenhando, as pessoas se sentem muito mais à vontade para tirar dúvidas e pedir informações para alguém bem disposto do que um indivíduo de cara fechado.

Por isso, sempre se mostre solícito e atencioso com seus clientes. As chances de receber um feedback positivo nesses casos aumentam substancialmente.

2. Paciência

Às vezes, somente simpatia não é suficiente. Talvez você precise lançar mão da sua paciência para lidar com determinadas questões que envolvem o tratamento com o público.

Mesmo sendo o mais claro e didático possível, há chances de você ter que repetir uma informação que tenha acabado de dar.

Isso é bem comum em grupo maiores de pessoas, nos quais alguns membros podem se dispersar ou prestarem atenção em outros detalhes.

Digamos que você é um guia fazendo um passeio em um museu com uns 20 turistas ao mesmo tempo. As instruções são claras: não é permitido tirar fotos com flash no interior do local.

No entanto, algum participante desatento descumpre as regras. Nesse caso, tente ser o mais educado possível na hora de fazer a advertência e, em hipótese alguma, perca a calma.

3. Proatividade

Essa não é uma qualidade específica para quem escolhe as carreiras de turismo e hotelaria. Proatividade é uma competência vital para todas as profissões.

Em dados momentos, você vai passar por alguma dificuldade e precisará de iniciativa para resolver o que for necessário.

Por exemplo, digamos que ocorreu um erro no sistema de reservas do hotel e o quarto que o turista alugou foi passado para outra pessoa.

Para reparar uma falha grave, você decide acomodar o visitante em uma acomodação ainda melhor da que foi reservada anteriormente. Afinal, o turista não tem culpa alguma do ocorrido.

4. Sede por conhecimento

Um profissional nunca pode achar que sabe tudo, em especial, em profissões que exigem atualizações constantes com as que são tema deste artigo.

Saber informações históricas detalhadas de determinado ponto turístico pode ser o seu grande diferencial em relação aos demais colegas.

O mesmo vale para quem trabalha com hotelaria.

Cada vez mais, a tecnologia vem fazendo parte do dia a dia das pessoas.

Atualmente, existem inúmeras plataformas para alugar acomodações e é importante estar cadastrado, pelo menos, nas mais importantes para atender o maior número de pessoas.

Vale ressaltar que só o cadastro não basta. É preciso que o sistema seja funcional e que agendas e calendários de locação estejam alinhados, de modo que não haja nenhuma sobreposição de reservas.

5. Bom senso de localização

Tanto o turismólogo quanto o hoteleiro precisam dominar a região onde atuam.

Afinal, é esse cuidado que assegura dar às pessoas as informações da forma mais precisa possível.

Já imaginou um turista perguntar onde fica tal atração e você não souber? Não vai pegar bem para a sua imagem enquanto profissional.

As pessoas veem essas figuras como referência e levam muito em conta qualquer mensagem passada por elas.

Por isso, é tão importante se manter atualizado. Fique de olho nos estabelecimentos novos que abriram e esteja sempre pronto para dar alguma indicação quando solicitada.

6. Proficiência em outro idioma

É sempre bom você dominar mais de uma língua, mesmo que não seja algo primordial para o seu ofício.

No entanto, no turismo e na hotelaria, isso não é um bônus e sim uma necessidade.

Você vai ter contato com pessoas de diferentes nacionalidades durante a sua rotina produtiva.

E para que essa comunicação seja a mais assertiva possível, é de bom tom conversar no idioma nativo do turista, se possível.

Inglês e espanhol são quase requisitos básicos, mas se você conseguir falar, pelo menos, as palavras mais básicas de uma terceira língua, isso seria o seu grande diferencial.

As pessoas se sentem mais valorizadas quando alguém se preocupa em atendê-la com educação e através do seu idioma nativo.

7. Comunicação assertiva

Uma comunicação assertiva não se resume apenas ao falar bem o idioma do turista.

É preciso também usar uma linguagem adequada, ser claro na construção das suas frases, ideias e instruções.

Uma boa saída pode ser usar corretamente os gestos e as expressões corporais.

Se você conseguir transmitir uma mensagem que seja bem compreendia pelo seu interlocutor, certamente vai ganhar pontos com ele.

8. Liderança

Você vai precisar lidar com uma série pessoas de perfis diferentes e, de certa forma, coordená-las para segui-lo. Isso exige uma boa dose de liderança.

Para isso, é necessário tornar a atração interessante e que chame ao máximo a atenção dos turistas em questão.

O mesmo vale para um profissional de hotelaria que precisa gerenciar uma série de colaboradores dentro de um hotel.

9. Trabalho em grupo

Mesmo que você seja um guia freelancer, sem vínculo empregatício com nenhuma agência, vai precisar trabalhar bem em equipe.

Afinal, é necessário ter uma boa relação com hospedarias, museus, teatros entre outros.

O mercado de trabalho de hotelaria e turismo

Homem de terno azul em uma recepção de hotel
O mercado de trabalho de hotelaria e turismo

Em função dos megaeventos esportivos que o Brasil sediou na última década – Copa do Mundo de Futebol Masculino 2014, Jogos Olímpicos Rio 2016 e, mais recentemente, a Copa América 2019 – o mercado de trabalho nos ramos de hotelaria e turismo cresceu muito em função dessa visibilidade.

E engana-se quem pensa que esses foram fenômenos pontuais.

Para se ter uma ideia, segundo o Ministério do Turismo, o número de desembarques internacionais só cresceu após o término das Olimpíadas.

De acordo com o levantamento, se compararmos 2017 com 2018, por exemplo, o crescimento é de 9,38%. Passando de 10,6 milhões para 11,6 milhões de pessoas.

Desse contingente, estima-se que a variação entre turistas, especificamente, passou de 6,59 milhões para 6,62 milhões.

Isso que estamos levando em conta somente o turismo estrangeiro.

Se formos computar as viagens em território nacional, o aumento é de 3,66%.

A variação parece pequena, mas estamos falando de uma escala bem maior, batendo na casa dos 100 milhões de passageiros ao ano.

Todos esses números servem para ilustrar um cenário que pode ser positivo para profissionais que investirem nessas carreiras.

No entanto, um ponto é importante ser levado em conta: a sazonalidade.

Por exemplo, se a sua ideia é abrir uma pousada no Nordeste do Brasil, precisa ter em mente que o seu faturamento não vai ser o mesmo no verão e no inverno, ainda que as temperaturas sejam mais elevadas nessa região em comparação com o resto do país.

Até porque o clima não é o único fator preponderante na escolha do destino de uma viagem.

Famílias com filhos se baseiam muito nos calendários dos pequenos para planejar seus passeios.

As férias escolares, por exemplo, são um dos principais medidores nesse sentido.

Como trabalhar com hotelaria e turismo?

Se você se possui algumas características vitais para um profissional de turismo e hotelaria, quer aproveitar essa tendência de mercado e possui uma certa vocação para essa carreira, é preciso se capacitar para tal.

Para isso, é necessário investir em uma formação de qualidade e, de preferência, em uma instituição conceituada e com reconhecida capacidade.

Esses e outros pré-requisitos você encontra na UPIS – Faculdades Integradas, uma das mais tradicionais universidades do Distrito Federal.

Com quase meio século de atuação, a UPIS conta com diversos cursos de graduação, pós-graduação e extensão.

Entre as diferentes opções está o curso de Turismo, o segundo mais antigo de todo o Brasil.

A formação conta com uma grade curricular completa, que incentiva seus alunos a empreender, mostrando a realidade do mercado, as inúmeras possibilidades de negócios e os diferentes tipos de turismo a serem abordados.

Outro diferencial são as frequentes saídas de campo.

Com essa abordagem, é possível conhecer cada canto do território nacional, possibilitando uma panorama completo da diversidade do nosso país.

Está esperando o quê? Acesse agora mesmo o nosso site, conheça essa e outras opções de cursos que a UPIS oferece e conquiste você também o seu objetivo profissional.

Conclusão

Neste artigo, falamos sobre duas carreiras que, apesar de terem as suas semelhanças, também são muito diferentes entre si: hotelaria e turismo.

Além disso, ambas possuem um mercado de trabalho promissor, especialmente, em um país que possui diversas atrações turísticas, embora nem sempre bem exploradas.

Esse cenário acaba possibilitando a abertura de empreendimentos próprios que identificam eventuais lacunas e atendam demandas carentes de determinados públicos.

Mas essa oportunidade não deve ser o principal elemento a ser levado em conta na hora de escolher qualquer uma das duas como profissão, e sim a sua vocação e conhecimento.

Você precisa gostar do que faz para a sua carreira deslanchar. Se hotelaria e turismo despertam essa emoção em você, então, siga em frente!

Busque a formação ideal, se especialize e conquiste o seu lugar ao sol.

Caso contrário, procure a felicidade e a realização profissional em outro lugar.

Ah, e se porventura, você não possui todas as caraterísticas fundamentais para investir nos cursos de turismo e hotelaria, não tem problema. Boa parte dessas habilidades podem ser desenvolvidas e trabalhadas dentro da própria formação.

E aí, achou esse conteúdo relevante? Pretende seguir alguma das suas carreiras?

Se gostou do artigo, aproveite para compartilhar com seus amigos em suas redes sociais e não esqueça de deixar sua mensagem no espaço destinado aos comentários logo abaixo.

Obrigado pela leitura até aqui e até a próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *