Posted in:

Plano de carreira: o que é, importância e como elaborar o seu

Mulher em cima de gráfico de seta, em forma de degraus, em um muro

Qual é o seu plano de carreira?

Ou ainda não parou para pensar onde deseja estar profissionalmente nos próximos 5, 10 ou 20 anos?

Estabelecer metas é apenas o primeiro passo para o sucesso, já que ele depende de definir um caminho para ser alcançado.

É por isso que é importante planejar o seu futuro profissional continuamente. E é aqui que o plano de carreira entra em jogo para ajudar a traçar a sua jornada.

Neste artigo, vamos apresentar um guia completo sobre o assunto.

Você vai entender o que é plano de carreira, qual a sua importância, como elaborar e ainda conferir os modelos mais utilizados no mercado.

Quer atingir todos os seus objetivos profissionais? Então, siga a leitura!

O que é um plano de carreira?

O plano de carreira pode ser definido de duas maneiras: individual e da empresa.

O plano individual é como um guia que sistematiza e impulsiona a ascensão profissional e o sucesso do colaborador no ambiente de trabalho.

De acordo com o livro “Fundamentos de Comportamento Organizacional”, os autores John Schermerhorn Jr., ‎James Hunt e ‎Richard Osborn definem o plano de carreira da seguinte forma:

“Um processo de combinar sistematicamente metas de carreira e capacidades individuais com oportunidades para sua realização”.

Dessa forma, podemos afirmar que o instrumento consiste em um processo contínuo, no qual o profissional:

  • Explora seus interesses e habilidades
  • Planeja estrategicamente seus objetivos de carreira
  • Usa essas informações para projetar planos de aprendizagem e ação para ajudá-lo a alcançar seus objetivos individuais na carreira.

Já o plano de carreira dentro da empresa também serve como um guia, mas, nesse caso, o foco é estruturar o caminho de cada colaborador a ser percorrido dentro da empresa.

Ele estipula as competências necessárias para cada posição hierárquica e também qual é a expectativa da empresa em relação àquela posição.

Para o que serve um plano de carreira?

O plano de carreira serve, essencialmente, para incentivar os profissionais a explorar e coletar informações que apontem com clareza qual a situação em que se encontram.

Com base nessas informações, eles conseguem sintetizar as habilidades necessárias, desenvolver competências, tomar decisões, definir metas e agir em prol dos seus objetivos.

No contexto das empresas, ele é crucial para o desenvolvimento de estratégias de recursos humanos que ajudem os colaboradores no crescimento dentro da organização, além de favorecer o equilíbrio entre vida pessoal e profissional.

Qual a importância de ter um plano de carreira?

Para o profissional, o plano de carreira é importante, pois oportuniza o conhecimento de oportunidades e de suas prioridades, alavancando seus pontos fortes e a própria confiança em si mesmo.

Esse conhecimento ajuda na escolha da carreira mais adequada ao seu estilo de vida, preferências e valores.

Mais importante, o plano incentiva a se apropriar de própria carreira.

As diretrizes aqui são apenas isso: diretrizes.

Assim como o mercado muda, o profissional também pode mudar seu plano e seus objetivos para criar o melhor sistema.

Já para as empresas, focar no planejamento e desenvolvimento de carreira a longo prazo aumenta a eficácia da gestão de recursos humanos.

Além disso, ajuda a empresa na identificação de talentos, com colaboradores internos que podem ser promovidos.

Por sua vez, as promoções internas, melhorias e transferências motivam esses colaboradores e resultam em maior satisfação no trabalho.

E como em um círculo virtuoso, tudo isso leva ao aumenta do comprometimento e cria um senso de lealdade à organização, o que acaba por reduzir a rotatividade de colaboradores.

No fim, todos saem ganhando.

Como funciona o plano de carreira dentro da empresa?

Até pouco tempo, as empresas estruturavam um plano de carreira para seus colaboradores como uma espécie de benefício para o crescimento profissional.

Entretanto, o mercado de trabalho mudou e o cenário agora é outro. Hoje, é raro alguém ficar por 20, 30 anos no mesmo emprego.

Dessa forma, o plano de carreira dentro da empresa adquiriu novas características e passou a contemplar de maneira ética os interesses de ambas as partes, proporcionando o desenvolvimento mútuo dentro do ambiente de trabalho.

Apesar de ainda ser um guia que mostra os degraus a serem superados dentro da empresa e as condições necessárias para cada nível hierárquico, sua proposta foi modificada.

O instrumento, agora, está mais focado em entender o que os colaboradores pretendem para o futuro, descobrir os pontos fortes e fracos de cada um, estabelecer metas e oferecer feedback periódicos.

Isso provoca maior atração e retenção de talentos.

Também permite que aqueles profissionais que estão na base da empresa, sejam capacitados e, assim, possam assumir cargos de liderança.

Quais os objetivos de um plano de carreira?

Plano de carreira, desenho de um homem, ao topo de uma montanha de blocos
Quais os objetivos de um plano de carreira?

Muitos são os possíveis objetivos para um plano de carreira, seja ele individual ou corporativo.

Abaixo, relacionamos os principais:

  • Ajudar a empresa a encontrar características especiais nos colaboradores
  • Entender a singularidade e a especialidade de cada colaborador
  • Dar respeito aos sentimentos do colaborador
  • Atrair uma força de trabalho talentosa para a empresa
  • Treinar os colaboradores para as habilidades de formação de equipes e liderança
  • Desenvolver maneiras melhores de gerenciar emoções, conflitos e estresse no trabalho.

O que é plano de carreira individual?

O plano de carreira individual tem se tornado cada vez mais popular devido ao mercado volátil em que vivemos.

As rápidas e constantes mudanças nas necessidades organizacionais acabam forçando as pessoas a realinhar seus planos de carreira na íntegra.

Nesse contexto, o plano individual é algo que você pode personalizar para se adequar melhor a você.

Ele passa a ser visto, então, como um esboço que ajuda o profissional a descobrir os passos que ele precisa dar para alcançar seus objetivos de carreira.

No processo de criação, a autoavaliação é um passo importante.

Ela é usada para ajudar a ilustrar os ambientes específicos de trabalho que aquela pessoa tem mais probabilidade de ter sucesso.

Também contribui para desenvolver um plano de ação eficaz.

Como elaborar um plano de carreira?

Depois de conferir a teoria, vamos à prática.

Criar um plano de carreira assertivo e eficiente não é um desafio tão complexo.

Para começar, estruture o documento em quatro etapas principais:

  1. Autoavaliação
  2. Pesquisa
  3. Tomada de decisão
  4. Ação.

A seguir, trazemos detalhes sobre cada uma das fases imprescindíveis a um bom plano de carreira.

1. Autoavaliação

Em primeiro lugar, você precisa fazer uma autoavaliação e traçar metas realistas.

Esse é um passo vital, mas, muitas vezes, negligenciado no planejamento de carreiras em potencial.

Aqui, é o momento para conhecer suas forças individuais, habilidades, preferências de estilo de vida e trabalho, interesses, valores e necessidades financeiras

Comece pensando em onde você está agora, onde você quer estar e como chegará lá.

Faça a si mesmo outras perguntas como:

  • O que eu quero de um emprego ou carreira?
  • O que eu gosto de fazer?
  • Quais são meus pontos fortes?
  • Onde posso evoluir?
  • O que é importante para mim?
  • Onde quero estar daqui 5, 10, 20 anos?

O objetivo é que você chegue no final deste passo com uma ideia mais clara do seu trabalho e das metas que quer atingir.

2. PesquisaCasal sentado em sofá, olhando para tela de um notebook

Em segundo lugar, você deve fazer uma análise de possíveis opções de trabalho e explorar as áreas de atuação que mais interessam ao seu perfil.

Reserve um tempo para investigar completamente as habilidades e qualificações específicas de desses cargos.

Também as oportunidades, satisfações, frustrações e outros fatos importantes que serão cruciais para identificar se uma determinada carreira seria ou não uma boa opção para você.

Algumas das perguntas que podem – e devem – ser respondidas nesta fase são:

  • Como minhas habilidades e interesses combinam com essas ocupações?
  • Onde estão as lacunas?
  • Quais habilidades eu preciso desenvolver?
  • Como me qualificar para essas ocupações?
  • Onde estão as oportunidades de trabalho?

Além disso, não se pode descartar o poder das redes sociais para para ajudá-lo na coleta de informações preliminares.

Ao manter contato com pessoas envolvidas no trabalho que te interessa, você consegue ter uma perspectiva privilegiada sobre as realidades do mercado e a preparação necessária para isso.

3. Tomada de decisão

No final da fase anterior, você saiu com a lista com todas as opções de carreira que mais o agradam.

A terceira etapa, então, compreende avaliar os prós e contras de cada uma, compará-las, restringir suas escolhas e decidir sobre qual se adequa melhor a você neste momento.

Por isso, pergunte a si mesmo:

  • Quais são as minhas melhores opções de trabalho?
  • Como elas combinam com as minhas habilidades, interesses e valores?
  • Como está o mercado de trabalho atual?
  • O que vai ajudar e o que vai me atrapalhar?
  • O que posso fazer sobre isso?

O ideal é que, ao final, você tenha reduzido as suas opções e possua uma ideia mais clara do que precisa fazer para atingir suas metas.

4. Ação

Finalmente, a quarta fase consiste no planejamento das etapas necessárias para colocar seu plano em ação.

Use tudo o que você aprendeu sobre as suas habilidades, interesses e valores, juntamente com as informações coletadas sobre o mundo do trabalho para criar seu plano, definir um cronograma e partir para a execução.

Comece perguntando a si mesmo:

  • Quais ações me ajudarão a alcançar meus objetivos de trabalho e carreira?
  • Onde posso obter ajuda?
  • Quem vai me apoiar?

No final deste passo, você terá um plano de ação pronto para ajudá-lo a explorar ainda mais suas opções, com todas as etapas, ações e prazos para alcançar as metas traçadas

Por fim, decida qual etapa é relevante para você no momento atual, pois definir prioridades é também uma forma de organização.

Modelos de plano de carreira

plano de carreira, mão de um homem desenhando uma seta de gráfico em uma tela touch
Modelos de plano de carreira

São três os modelos mais conhecidos de plano de carreira, nos quais as organizações e os profissionais podem investir:

  • Plano de Carreira em Y
  • Plano de Carreira em W
  • Plano de Carreira para empresas de alto crescimento.

Agora, vamos ver um pouco mais sobre cada um deles.

Plano de Carreira em Y

Esse modelo de crescimento é inspirado pelo desenho da letra “Y” e o motivo é bem claro.

A ideia aqui é que, a partir de uma determinada posição, o profissional se encontra em uma bifurcação: ou escolhe seguir carreira de especialista ou atuar como gestor, por exemplo.

Esse modelo possibilita que um cargo muito especializado e técnico chegue a um nível de gerência, mas tudo vai depender do segmento de mercado.

Em setores de pesquisa e desenvolvimento, como tecnologia, engenharia, indústria farmacêutica e alimentícia, o conhecimento é estratégico para as empresas e os cargos maiores acabam exigindo mais aptidão técnica.

Dessa forma, a carreira de especialista é bastante comum.

Já em setores como marketing, financeiro e comercial, é mais difícil para o profissional técnico chegar a um nível de gerência, ficando mais no nível de coordenação.

No fundo, é tudo uma questão de oportunidades e do espaço que os cargos de gestão e de especialistas tem dentro de uma empresa.

Plano de Carreira em W

Esse modelo faz um misto entre os dois caminhos abordados no modelo anterior, propondo um terceiro: o de gestor de projetos.

Sua função não vai ser de liderança, mas sim de consultor, acompanhando o desenvolvimento de um projeto e dando feedbacks mais técnicos para as pessoas nele envolvidas.

O modelo em W não é tão popular quanto o anterior, porque funciona em setores bastante específicos, como o de tecnologia, por exemplo.

Plano de Carreira para empresas de alto crescimento

Ao contrário do que acontece nas empresas consolidadas, nos negócios em expansão, fica mais difícil apontar uma visão realista e traçar um plano de desenvolvimento seguro para os colaboradores.

O desafio consiste justamente na dificuldade de prever como a empresa estará daqui a 5 ou 10 anos, inviabilizando uma visão bem planejada do futuro.

Por isso, nesse modelo de plano de carreira, é o próprio colaborador quem constrói os degraus para a sua ascensão profissional.

Nesse contexto de incerteza, é importante apresentar para cada funcionário, desde o momento da entrevista, a estrutura atual da empresa e como o profissional pode evoluir dentro dela, conforme a própria organização também evolui.

Dessa forma, a empresa, os gestores e cada colaborador agem em conjunto para evitar frustrações e evoluir juntos.

Quando e como mudar o plano de carreira?

Como lembramos antes, vivemos em um mercado volátil, com mudanças frequentes.

Mas o que isso significa em aspectos práticos?

Você vai mudar – mais do que você pensa – e o mundo também.

Entre as profissões do futuro, talvez estejam algumas que hoje nem existem ainda, enquanto outras podem desaparecer.

Tudo isso afeta – e vai afetar ainda mais – as necessidades organizacionais.

Como consequência, o seu plano de carreira precisa se adaptar.

Mas não há como prever, tampouco estabelecer qual o momento certo de mexer no instrumento que criou para o seu futuro profissional.

Depende de um aprendizado constante, de observar as transformações e de inserir nelas.

Quando o profissional percebe que a carreira não está seguindo na direção desejada, quando identifica uma oportunidade e mesmo uma necessidade diferente, aí sim, é um bom momento de atualizar o seu plano de carreira.

Para isso, vale revisitar os passos que sugerimos antes, fazendo uma análise crítica com as mesmas perguntas já propostas.

Se as respostas mudarem, você identificará que chegou a hora de ajustar o documento e, também, terá as ferramentas exigidas para isso.

Plano de Carreira e a divisão de Cargos e Salários

Assim como o plano de carreira, a divisão de cargos e salários é uma importante ferramenta para a gestão.

Abrange questões relacionadas à remuneração e carreira profissional dentro da empresa.

Ela dá ao colaborador uma perspectiva da trajetória que tem pela frente em termos de evolução salarial, definindo as atribuições de cada posto de trabalho e seus respectivos ganhos.

Define também o critérios técnicos para a diferenciação da remuneração entre os colaboradores e os cargos, bem como aspectos considerados em momentos de promoção e crescimento na empresa.

Em última análise, o plano de cargo e salários serve para normatizar de forma justa e coerente as remunerações.

Ele previne conflitos internos entre os colaboradores, permitindo que apenas aqueles que demonstram maior habilidade, produtividade e que estejam alinhados aos objetivos da empresa, possam ser devidamente reconhecidos.

Como a liderança ajudará na construção do plano de carreira de sua empresa?

Mão de um homem, no bolso da calça, e imagens de peças de xadrez ao fundo
Como a liderança ajudará na construção do plano de carreira de sua empresa?

A figura do líder é fundamental para o sucesso e desenvolvimento não apenas da empresa, como de todos os envolvidos com ela.

Líderes de alta performance respeitam a cultura organizacional e valores da empresa, sendo indispensáveis na construção do plano de carreira.

Eles utilizam ferramentas e técnicas que estimulam o processo de autoconhecimento dos colaboradores.

Assim, todos conseguem assimilar mais facilmente as suas reais motivações, identificar suas habilidades, competências e experiências, assim como relacioná-las ao trabalho.

Além disso, líderes ajudam os colaboradores a definir metas de desenvolvimento de curto e longo prazo, apoiadas aos objetivos da empresa e indicando etapas específicas e como realizá-las para chegar onde desejam.

Conclusão

Vimos neste artigo que, seja no ínicio da jornada profissional ou ao mudar de emprego, o desenvolvimento de um plano de carreira eficaz ajuda a alcançar seus objetivos.

Uma visão de futuro bem planejada não só estimula a motivação individual, como também atrai e retém os colaboradores na empresa.

Esse é um instrumento que ajuda o profissional e se conhecer melhor, a traçar metas de desenvolvimento e a descobrir o que é preciso para atingir tal patamar.

Com essas informações em mãos, reflita, defina metas e tome sua decisão.

A construção do futuro que você deseja começa agora.

Aproveite, então, para visitar o site da UPIS e conhecer as opções de cursos de graduação, pós ou extensão.

Investir em conhecimento é fundamental para se tornar um profissional mais completo.

Restou alguma dúvida ou gostaria de dar a sua opinião sobre o assunto? Deixe um comentário. Se desejar, faça contato conosco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *