Posted in:

Profissões do Futuro: Como se preparar e quais características ter?

Homem de terno com um tablet na mão e uma mulher tocando tela projetada

As chamadas profissões do futuro são recorrentes em nossa história.

Ao longo do tempo, com o avanço tecnológico e o desenvolvimento das civilizações, novas ocupações são assim projetadas.

E, de fato, muitas delas se confirmam, enquanto outras evoluem ou acabam deixando de existir.

Essa é uma tendência que continua até os dias atuais.

O mercado de trabalho está em constante renovação e isso exige dos profissionais – sejam eles iniciantes ou veteranos – novas aptidões e conhecimentos.

Por isso, conseguir acompanhar as tendências, adquirir conhecimentos e manter-se atualizado são habilidades muito valorizadas.

Vale para as novas ocupações, a mesma forma que para as clássicas.

O profissional que percebe essa necessidade e investe no próprio desenvolvimento sai na frente e se destaca da concorrência.

É exatamente sobre isso que falaremos neste artigo.

Você está preparado para as profissões do futuro? Sabe quais são elas e que conhecimentos pedem?

Se esse assunto desperta o seu interesse, então, não perca tempo e continue a leitura.

O que são profissões do futuro?

 

As profissões do futuro são aquelas ocupações que, segundo tendências do mercado, devem ter grande valorização nos próximos anos.

São as atividades que devem se tornar mais importantes dentro das empresas.

Ou que, ainda, surgirão devido a alguma demanda crescente de mercado.

Nesse sentido, é fundamental estar atento às novidades.

Isso porque, caso a tendência seja confirmada, a procura por profissionais que se encaixem nessas atividades deve aumentar exponencialmente.

Então, quem conseguiu se antecipar tende a se destacar, encontrar maior facilidade para se colocar no mercado e ainda garantir boas ofertas profissionais.

O que é preciso para ser um profissional do futuro?

O primeiro passo para ser um profissional do futuro é sempre buscar novos conhecimentos e se manter atualizado.

Isso é fundamental para aproveitar as oportunidades que as novas atividades podem trazer – seja para quem vai iniciar a carreira ou já está no mercado.

Com isso, uma das melhores formas de se preparar para isso é ler.

Leia notícias, acompanhe sites de jornais e revistas, também blogs e busque livros sobre temas do seu interesse.

É a partir daí que você poderá formar uma base intelectual vasta, que poderá prepará-lo para entender melhor as mudanças atuais e futuras.

Além disso, é importante desenvolver capacidades e habilidades que ajudem a ser uma pessoa mais flexível, ágil e aberta para novos conhecimentos.

Isso porque o mercado de trabalho busca profissionais que não tenham medo de ser criativos, de ousar e aprender com seus erros.

Mas, mais do que habilidades técnicas, as características humanas serão extremamente valorizadas.

Empatia, inteligência emocional e criatividade são exemplos de competências comportamentais que impactam diretamente nas relações pessoais.

Com tantas máquinas realizando tarefas mecânicas e operacionais, é essencial conseguir mostrar o que nos diferencia delas.

Onde o profissional do futuro trabalhará?

O profissional do futuro trabalhará em empresas de todos os tipos: pequenas, médias ou grandes.

Pode ser um empreendedor e criar a sua própria companhia.

Também atuar em startups ou multinacionais.

Quem sabe mudar de país ou, até mesmo, trabalhar de casa.

As opções são muitas, principalmente pelo fato de o mercado de trabalho estar em constante mudança e evolução.

Como será um ambiente de trabalho para as profissões do futuro?

Mulher usando óculos trabalhando em um computador
Como será um ambiente de trabalho para as profissões do futuro

No futuro, a organização interna das empresas deve mudar, principalmente após a aprovação da lei que permite a terceirização da atividade-fim da organização.

Independente disso, a tendência é que as empresas modernas sejam mais ágeis e dinâmicas, contando com equipes multidisciplinares.

Como consequência, a tradicional organização setorial deve acabar.

O ambiente será mais múltiplo e diversificado, onde profissionais de especializações e áreas diversas trabalharão juntos.

Aquele ambiente fechado, com baias e vidros ou paredes separando as mesas, deve se tornar cada vez mais raro.

Grandes mesas tendem a tomar o espaço, como incentivo à troca de ideias e à aproximação.

Nesse sentido, os espaços de coworking já têm ganhado destaque e muitas empresas vêm optando por seus escritórios para esses locais.

Além disso, uma forte tendência é a opção pelo home office.

Nela, o profissional pode trabalhar de sua própria casa, de forma remota.

Ou seja, serão ambientes mais flexíveis e dinâmicos, que vão estimular a criatividade, a multidisciplinaridade e a troca de experiências.

Quais cursos ajudarão as profissões do futuro?

Você deve estar se perguntando: com todas essas mudanças e avanços tecnológicos, que curso fazer para se encaixar uma profissão do futuro?

A verdade é que são muitas as áreas que surgiram nos últimos anos e estão bastante valorizadas no mercado, mas ainda existem profissionais que acreditam que o seu setor não será impactado.

É um engano, pois todas sentirão algum efeito da transformação de mercado, seja direto ou indireto.

Por mais tradicional que o curso possa ser, as tecnologias trarão mudanças, seja na forma de vender o seu serviço, de organizar a sua empresa ou de comunicar com seu cliente.

Então, não deixe de conferir agora quais áreas de conhecimento podem representar uma boa ideia de formação, tendo as profissões do futuro como uma meta.

Sustentabilidade

Esse é um tema que está sempre em destaque nos noticiários e nas empresas. No futuro, isso não será diferente.

As instituições estão cada vez mais preocupadas com o controle socioambiental, a qualidade de vida, o destinamento correto dos resíduos, a transformação do lixo em fonte de renda e energia, além da constante atenção com os impactos ambientais.

Por esse motivo, profissões como gestor de resíduos, engenheiro ambiental e gestor de ecorrelações podem gerar ótimas oportunidades.

São profissionais que possuem formação em Engenharia Química ou Ambiental, Administração, Economia, Biologia, Geografia ou Ecologia, com especializações voltadas para as suas funções.

Tecnologia

Como já foi possível perceber, a tecnologia impacta todo mundo, seja de forma direta ou indireta.

Mas algumas das novas profissões estão diretamente relacionadas ao seu uso.

Por isso, analistas, programadores e gestores que atuam com Big Data, Inteligência Artificial (IA), Machine Learning e Internet das Coisas (IoT) devem ser valorizados.

São profissionais que poderão atuar como gestores de comunidades, especialistas em cloud computing ou gestores de Big Data, por exemplo.

Para tanto, os cursos mais buscados para quem quiser atuar nessas áreas serão: Marketing, Tecnologia da Informação, Engenharia da Computação, Ciência da Computação, Sistemas de Informação, Matemática e Estatística.

Marketing

Nos últimos anos, o marketing se desenvolveu e mudou bastante.

O avanço do marketing digital e o desenvolvimento de ferramentas de automação, utilizadas para a captação de dados e informações sobre os clientes, alteraram as estratégias de comunicação.

Nesse sentido, a tecnologia ajudou a economizar tempo, encurtar distâncias e aumentar o foco no cliente e em suas necessidades.

Por isso, profissões como designer ou redator de experiência do usuário (UX), analista de business intelligence, design thinker, community manager, gestor de marketing para e-commerce e gestor de inovação estão em alta no mercado.

São profissionais que fizeram graduações em Marketing, Publicidade, Jornalismo e outras relacionadas à tecnologia e informática.

Como as profissões do futuro impactarão áreas da saúde?

Profissões do Futuro um estetoscópio em cima de uma placa mãe de computador
Como as profissões do futuro impactarão áreas da saúde

Entre as mais antigas profissões da história, o trabalho da área de saúde sempre evolui devido aos avanços tecnológicos.

Foram eles que possibilitaram as melhorias nas técnicas de diagnóstico, nos tratamentos mais precisos, no desenvolvimento de medicamentos e vacinas.

Com as profissões do futuro e a mudança no mercado de trabalho, o que altera no setor de saúde é o tipo de conhecimento.

As matérias tradicionais começam a perder espaço – ou dividir a grade curricular dos cursos – com aquelas que trazem mais saberes relacionados à tecnologia da informação.

Além disso, o Big Data trará novas formas de processar e avaliar os dados dos pacientes.

Ao mesmo tempo, a Internet das Coisas permitirá uma maior conectividade entre todos os dispositivos disponíveis em um consultório, clínica ou hospital.

Também haverá um avanço nos conhecimentos e aplicações práticas no que diz respeito à genética: biologia molecular, manipulação de DNA, nanotecnologia, sequenciamento genético, entre outras técnicas, ajudarão no tratamento de doenças e distúrbios.

E todos esses avanços vão gerar impacto direto na saúde das pessoas, permitindo o aumento da expectativa de vida populacional ao redor do globo.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a expectativa de vida no Brasil cresceu 41,7 anos em pouco mais de um século.

E, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o mundo terá 2 bilhões de idosos em 2050 – número que atualmente está em 850 milhões.

Isso gera novas oportunidades no mercado de trabalho.

Áreas como a gerontologia, cuidadores de idosos, terapeutas, médicos especialistas em ergonomia estarão em alta nos próximos anos.

Além do aumento do número de clínicas, hospitais e profissionais que realizam atendimento domiciliar ou estabelecimentos que possam oferecer exames, consultas de rotina e programas de reabilitação.

Existirão vagas para todos no futuro?

Não há como afirmar se, no futuro, existirão empregos e vagas para todos os trabalhadores.

O estudo do ManpowerGroup, “A Revolução das Competências”, que foi apresentado no Fórum Econômico Mundial, em Davos, apontou que 64% das empresas disseram que não vão diminuir o número de empregos.

Já 19% afirmaram planejar aumentar a sua mão de obra, enquanto apenas 12% pretendem reduzir suas equipes.

Em sentido oposto vai este outro relatório, também divulgado em Davos.

Ele aponta que, em cinco anos, a Quarta Revolução Industrial implicará na perda de mais de 5 milhões de empregos.

Mas conclui que, por outro lado, áreas como computação, matemática, arquitetura e engenharia irão gerar mais de 2 milhões de vagas.

Podemos citar ainda um estudo da Universidade de Oxford, prevê que todos os países desenvolvidos terão níveis de desemprego assustadores nos próximos 25 anos.

A taxa será de até 47%, principalmente na indústria de manufatura.

Por fim, há um estudo encomendado pela Dell Technologies para o IFTF (Institute for the Future) diz que, até 2030, teremos 85% de profissões novas ou que ainda nem foram inventadas.

Afinal, o que tudo isso quer dizer?

Que não há como prever exatamente como será o futuro, mas as principais previsões mostram que a tecnologia não irá substituir os profissionais, mas vai impactar na forma de buscar ou realizar um trabalho.

Como se preparar para as mudanças da tecnologia

Profissões do Futuro Mulher com óculos VR
Profissões do Futuro Como se preparar para as mudanças da tecnologia

A humanidade já vem há algum tempo se preparando para as mudanças da tecnologia.

Isso porque fala-se tanto sobre ela e os seus impactos em nossa vida, que esse até parece ser um assunto recente.

O fato é que o desenvolvimento tecnológico começou há milhões de anos, com o início da produção de ferramentas pelos primeiros hominídeos.

O que muda é que, hoje, a tecnologia avança muito mais rapidamente, o que faz com que possamos perceber as alterações de forma clara em nossas rotinas.

Quem é considerado parte da geração Y ainda lembra como era ter que usar um telefone público para poder falar com alguém quando estava na rua.

Hoje, quase já não existem os chamados orelhões pelas cidades.

Difícil é encontrar alguém que não possua um celular.

São tecnologias que, para muita gente, podem parecer irrelevantes, mas que fazem parte de um desenvolvimento que não tem fim e que vem transformando constantemente o mercado de trabalho.

A chegada do Big Data, Business Intelligence, Machine Learning, Inteligência Artificial e o desenvolvimento de softwares de gestão que automatizam e otimizam processos.

Todos esses fatores fazem com que o mercado se altere consideravelmente, pedindo que os novos profissionais já estejam preparados para atuar com essas inovações.

Com a popularização da internet e dos computadores, o modo de se comunicar mudou, as distâncias diminuíram e a globalização se expandiu, trazendo novas oportunidades e também desafios para as empresas.

E tudo isso tem impacto no mercado de trabalho.

Surgem novos perfis profissionais, com pessoas que precisam saber lidar com a grande quantidade de informação que é gerada e possuir um pensamento estratégico.

E tem ainda a necessidade de utilizar todas as ferramentas tecnológicas já existentes – e as que podem aparecer -, assim como trabalhar com inovação, se adaptar às constantes mudanças, se relacionar com as máquinas

Isso tudo, aliás, já é realidade para muitos profissionais e empresas.

Ou seja, para se preparar para as mudanças tecnológicas, o profissional do futuro precisa desenvolver não apenas habilidades práticas, mas também as de inteligência pessoal e relacional, como vimos anteriormente.

É necessário se manter sempre atualizado, buscar conhecimento e estar aberto para as mudanças, além de ficar atento às novidades tecnológicas que surgem no mercado.

Quais profissões deixarão de existir?

Não há como afirmar quais serão as profissões que deixarão de existir no futuro, mas podemos fazer um exercício.

Na Reunião Anual do Fórum Econômico Mundial, realizada em Davos, foi destacado que em cinco anos 35% das competências que atualmente são consideradas importantes no mercado de trabalho já terão mudado.

Que o mercado de trabalho está passando por uma revolução, isso é um fato.

E, segundo os economistas da Universidade de Oxford, Michael Osborne e Carl Frey, cerca de 45% dos empregos americanos poderão ser extintos até 2030.

Ou seja, previsões existem, mas não é sempre que elas realmente se confirmam.

Um caso foi a do entregador de gelo, profissão que desapareceu após o surgimento da geladeira, que acabou se tornando um item comum e essencial em todos os lares.

Já existem profissões que não sumiram, mas que tiveram sua importância relativamente diminuída, como foi o caso dos estivadores após a modernização dos portos e o surgimento do sistema de contêineres.

Outro caso são aquelas que não deixam de existir, mas que passam por mudanças consistentes, como o contador.

Com o surgimento dos softwares de gestão financeira, esse profissional não perde mais tempo realizando cálculos ou atualizando o livro-caixa.

Por outro lado, não é nenhuma novidade que, com os avanços tecnológicos, muitas atividades serão automatizadas.

Uma pesquisa da McKinsey destaca que cerca de 60% de todas as ocupações atuais possuem 30% de atividades que podem ser automatizadas.

Além disso, ela afirma que essa automação poderá afetar 1,2 bilhões de empregados e afetar US$ 14,6 trilhões em salários.

E as atividades que mais podem ser afetadas por essa previsão são as operacionais e de baixa formação.

No entanto, muitos estudiosos destacam que, ao invés de empregos ou profissões deixarem de existir, o que pode acontecer é uma adaptação da forma de trabalho atual.

Veja profissões que podem acabar perdendo popularidade:

  • Agente de viagens: já é comum encontrar pessoas que preferem montar suas viagens online ou adquirir planos pela internet
  • Analista de risco: os avanços tecnológicos, como big data, algoritmos e machine learning, já realizam a análise dos riscos com mais agilidade e precisão
  • Agricultor: com o desenvolvimento da agricultura de precisão, muitos procedimentos nas lavouras já foram automatizados, como o uso de drones na pulverização, máquinas com piloto automático e geolocalização para semear e arar a terra
  • Atendente de call center: com os chatbots e o crescente uso do atendimento online, o uso do telefone para resolver problemas ou conversar com as empresas têm diminuído a cada dia.

Conclusão

homem de terno com dois notebooks projetados em cima das mãos
Conclusão

Ao longo do artigo você pôde ver que, para ter sucesso no mercado de trabalho atual e futuro, é preciso disposição para enfrentar a concorrência e buscar atualização constante.

E que, além de desenvolver habilidades técnicas, as características pessoais, aquelas mais humanas, podem ser um diferencial para você se tornar um profissional do futuro.

Saber entender as tendências, acompanhar as evoluções tecnológicas e, com isso, escolher o melhor curso exige estar atento ao mercado para poder atender às demandas que devem surgir no futuro.

Mas de nada adianta ter conhecimento e formação se você não souber se adaptar aos avanços da tecnologia.

Estar preparado para isso é essencial para quem quiser reservar o seu lugar junto às profissões do futuro.

Ainda não podemos dizer se existirão vagas para todos ou quais ocupações deixarão de existir.

Por isso, o importante é se manter em movimento.

Você acha que está pronto para ser um profissional do futuro?

Não deixe de visitar o site da UPIS e conhecer os nossos cursos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *