Posted in:

Relações Públicas: O que é RP? Para o que serve e o que faz?

Vetor, uma mão escrevendo as palavras Public Relations

A área de relações públicas, por vezes conhecida apenas como RP, cuida da imagem de uma marca, seja ela vinculada a uma empresa ou profissional.

Não importa de que tamanho de negócio estamos falando: a sua reputação é, em última análise, garantia de sobrevivência e sucesso.

Isso explica logo de cara porque é importante conhecer e entender o que é relações públicas, estruturar essa área e colocar em práticas as ações dela esperadas.

Um bom trabalho de relações públicas pode ajudar a gerenciar a reputação, comunicando e construindo boas relações com todas as partes interessadas na empresa, os chamados stakeholders.

E foi pensando no sucesso de uma marca que preparamos este artigo.

Nele, vamos falar do conceito de relações públicas, da formação e da carreira do profissional habilitado a trabalhar na área.

Cursos, salários, oportunidades de trabalho e funções do RP são temas que vão aparecer ao longo do texto.

Se o assunto interessa, não perca uma só linha a partir de agora.

Boa leitura!

O que é relações públicas?

Essencialmente, relações públicas (RP) é a prática de manter um relacionamento saudável entre a empresa e todos seus pontos de contato: público, colaboradores, investidores e demais parceiros.

Em outras palavras, seu objetivo é construir e gerenciar a reputação de uma marca – como as empresas ou os indivíduos são percebidos, como se percebem e como qualquer desconexão entre os dois pode ser resolvida.

E toda a mágica acontece graças à atuação de profissionais capacitados nessa área.

Suas técnicas não ajudam apenas no fluxo de informações da empresa para o público, mas também do público para a empresa (reviews, críticas, etc), estimulando uma comunicação bidirecional e promovendo uma imagem positiva da marca.

Podemos ainda fazer uma reflexão mais aprofundada sobre o conceito de relações públicas e o que ela representa nos dias atuais, pensado além da questão puramente da reputação.

Com os avanços das mídias sociais e da internet, com consumidores cada vez mais conscientes e informados, quem cria e mantém uma imagem positiva constrói uma vantagem competitiva.

Dessa forma, a área relações públicas, hoje, está atrelada com a arte de comunicar, criar debates, modelar personalidades, relacionamentos com influenciadores, produzir conteúdo de qualidade e conduzir a conversa com a audiência da melhor maneira possível.

O que faz um profissional de relações públicas?

Relações públicas, Mulher, conversando ao celular e escrevendo em papel
O que faz um profissional de relações públicas?

Agora, precisamos reconhecer o devido valor do profissional de relações públicas.

Ele é uma peça-chave para o sucesso de qualquer empresa.

Sua agenda concentra diversas demandas comunicacionais e ele faz todo o gerenciamento delas.

Na tentativa de estreitar o relacionamento e evitar ruídos na comunicação com o público, o profissional pode exercer funções diversas, como as que relacionamos a partir de agora.

Conta a história da marca

Os profissionais de RP são encubidos com a tarefa de desenvolver, orientar e gerenciar a percepção dos consumidores sobre a empresa.

Dessa forma, eles são a voz da sua marca, responsáveis por criar uma história atraente, a qual compartilham com a audiência através de diversos canais de mídia.

Em uma força tarefa com o pessoal do marketing e da publicidade, eles adicionam uma camada extra de substância às campanhas de comunicação.

Também ampliam a mensagem por meio de artigos, press releases, declarações, eventos e comentários em mídias diversas.

Quando você lê uma reportagem, ouve um spot de rádio, lê sobre um evento ou um novo produto em uma revista, as chances de um profissional de RP ter participado dessa interação são grandes.

Gerencia crises

Em linhas gerais, os profissionais de RP buscam obter as notícias mais precisas e positivas para o consumidor sobre uma marca.

Afinal, essa é a imagem que trabalham para construir.

Mas nem sempre tudo é um mar de rosas.

E as redes sociais estão aí para provar como as marcas sofrem com pequenos erros (ou nem tão pequenos assim) na interação com o público.

Nesse momento, surge uma enxurrada de críticas, um feedback negativo, interno ou externo, que pode afetar a sua reputação.

Como isso vai ser gerenciado pela mídia e, por sua vez, interpretado pelo consumidor, é também uma preocupação dos profissionais de RP.

Nessas situações, como bombeiros, agem para apagar o fogo ao lado dos demais personagens de uma assessoria de comunicação.

O objetivo é sempre evitar consequências ruins para a marca.

Realiza pesquisas de opinião

Os profissionais de RP trabalham duro para criar histórias exclusivas sobre suas organizações.

É um esforço que busca sempre criar percepções favoráveis ​​na mente do consumidor, estimular o debate, administrar a crise quando necessário e promover eventos e lembranças positivas.

Para isso, conhecer o seu público é fundamental.

Mas o mercado é volátil e dinâmico, o que exige o uso de ferramentas e técnicas diferentes a cada abordagem.

Como atender, então, àquilo que o consumidor deseja?

As pesquisas de opinião, tanto interna quanto externas, entram em campo como uma das demandas na agenda de relações públicas.

Assim, os profissionais agem para descobrir o que as pessoas estão achando da marca, de um determinado ou serviço oferecido por ela.

São dados que embasam a tomada de decisão de gestores, que se habilitam através das pesquisas a descobrir o que vem ou não funcionando bem entre as práticas atuais.

Entrega a mensagem ao público

Depois de identificar os principais direcionamentos estratégicos para a marca, os profissionais de RP vão em busca de novas respostas: qual mensagem entregar para o público e através de que formatos.

Há diferentes maneiras de chegar à audiência para dialogar com ela.

Pode ser através de press releases, de fichas técnicas, de declarações de posicionamento, de informes oficiais, de apresentações em PowerPoint, de artigos de opinião, de publicações no blog e por aí vai.

Cada um desses métodos oferece mais uma oportunidade para moldar e orientar a mensagem dada ao público.

Por isso, é importante tomar cuidado com a escolha das palavras e o tom de voz utilizado nesse processo para não causar reações adversas.

Ainda que, muitas vezes, não seja o RP a figura que vai produzir diretamente o conteúdo, ele precisa fazer parte da estratégia.

Organiza eventos

Os eventos são uma ótima forma de se aproximar do público.

Podem ser feiras, seminários, palestras, workshops ou mesmo a presença em iniciativas organizadas pelo poder público.

São oportunidades de reforçar a imagem da marca, de destacar a sua autoridade e relevância no mercado, assim como estabelecer contatos que podem render benefícios futuros.

O profissional de RP precisa participar desse processo de organização, garantindo que as necessidades comunicacionais da empresa sejam atendidas.

Gerencia contratos e relacionamentos

Para um negócio caminhar, ele precisa de bons relacionamentos, certo?

E os profissionais de RP contribuem para isso com ações voltadas a diferentes públicos de interesse.

Sim, o correto é públicos, no plural mesmo. Pois uma organização possui públicos interconectados, os quais garantem o sucesso da empresa como um todo.

Entre eles, o público interno (formado por colaboradores), o externo (que inclui consumidores, parceiros e fornecedores) e também os canais de mídias.

Todos eles precisam receber atenção da empresa.

Obviamente, a tarefa não compete apenas ao RP, mas faz parte do seu dia a dia.

Faz assessoria de comunicação

A assessoria de comunicação é o setor responsável por conectar a empresa com o público.

É quem elabora um planejamento de relações públicas, pensado para atender a toda a área comunicacional da empresa.

Aqui, o profissional de RP fica encarregado de fazer assessoria de imprensa, gerir as redes sociais e também gerir a imagem da marca.

O que preciso para me tornar um Relações Públicas?

Relações Públicas, Várias pessoas sentadas em uma mesa
O que preciso para me tornar um Relações Públicas?

Você sabe o que Relações Públicas, Jornalismo e Publicidade e Propaganda têm em comum?

Todas são habilitações do curso de Comunicação Social.

Essa é a formação básica do profissional de RP.

Por aí, você já tem uma ideia da principal característica dele: precisa ser comunicativo.

Sabe aquele cara gente boa do rolê e que se dá bem com a galera? No mercado de trabalho, ele é o RP.

E não é para menos, afinal, o profissional precisar ter bastante jogo de cintura para lidar com clientes e até mesmo colaboradores, por vezes insatisfeitos.

Um bom domínio da língua e boa articulação das palavras, principalmente em situações delicadas e de crise, também é fundamental.

Outros pré-requisitos incluem ter interesse em notícias, redação, criação de conteúdo, cinema, fotografia e trabalhar com pessoas.

Quanto ganha em média um profissional de relações públicas?

Não dá pra negar que a questão financeira é um dos principais pontos de atenção ao escolher uma profissão.

Para trabalhar com relações públicas, não seria diferente.

O salário de um profissional de RP depende principalmente do porte da empresa e do tempo de experiência que ele no mercado.

Segundo sites especializados, como Salário.com e Emprega Brasil, a faixa salarial gira em torno de R$ 4.000 para uma jornada de trabalho de 42 horas semanais.

A tabela abaixo, com dados originalmente publicados no site Mais Bolsas, mostra a variação para os diferentes níveis de experiência e porte da empresa:

Trainee Júnior Pleno Sênior Master
Pequenas empresas R$ 1.541,09 R$ 1.926,36 R$ 2.407,95 R$ 3.009,94 R$ 3.762,43
Médias empresas R$ 2.003,42 R$ 2.504,27 R$ 3.130,34 R$ 3.912,93 R$ 4.891,16
Grandes empresas R$ 2.604,44

 

R$ 3.255,55 R$ 4.069,44 R$ 5.086,80 R$ 6.358,50

Obviamente, essa é apenas uma referência e não uma regra, já que as empresas contratantes têm liberdade para definir a remuneração de seus funcionários.

Entretanto, fica claro que, em empresas maiores, o salário é mais alto.

Para conhecer a média salarial paga ao RP em seu estado, você pode conferir o levantamento realizado pelo Dissidio.com.

Quanto tempo dura o curso de relações públicas?

Relações públicas, Pessoas em reunião, sentadas em um sofá
Quanto tempo dura o curso de relações públicas?

O tempo do curso de Relações Públicas está diretamente ligado com a modalidade escolhida: bacharelado ou tecnologia.

São mais de 80 universidades (públicas e privadas) que têm o curso reconhecido pelo MEC.

Também o interessado pode fazer um curso presencial ou optar pelo ensino à distância.

Os cursos de bacharelado em RP têm duração média de 4 anos e possuem uma grade curricular mais ampla, envolvendo disciplinas práticas e teóricas para capacitar o profissional para atuar em diversas áreas.

Já os cursos de tecnologia são mais curtos, em média 2 anos, e são mais focados em suprir as demandas do mercado.

Consequentemente, a grade acaba se restringindo mais em disciplinas técnicas e práticas, como comunicação organizacional e conteúdo para web, por exemplo.

O que tem no curso de relações públicas?

Como você acabou de ver, os cursos de bacharelado e tecnologia possuem pequenas diferenças quanto a grade curricular.

No entanto, de acordo com o proposto pelo Ministério de Educação em 2010, as disciplinas mais comuns são:

  • Teorias e História da Comunicação
  • Teorias e Histórias das Relações Públicas
  • Estudos de Mídia
  • Ética da Comunicação
  • Noções de Jornalismo
  • Políticas de Comunicação
  • Teorias da Opinião Pública
  • Comunicação Pública
  • Comunicação Organizacional
  • Comunicação Política
  • Comunicação via Internet
  • Pesquisas de Opinião Pública
  • Planejamento da Comunicação
  • Comunicação Estratégica com Públicos Específicos
  • Organização de Eventos e Cerimonial
  • Imagem, Identidade e Reputação Institucional
  • Assessoria de Comunicação
  • Marketing.

O que é uma empresa de RP?

Até pouco tempo, uma empresa ou agência de Relações Públicas era, automaticamente, associada à assessoria de imprensa, estando focada na comunicação institucional da marca em relação à mídia.

Porém, a internet e todo o aparato de plataformas, ferramentas e recursos online à disposição revolucionaram não só a forma como nos comunicamos, mas também o escopo de trabalhos dessas empresas.

Hoje, uma agência de RP precisa reunir todas as expertises que envolvem o universo da comunicação.

E deve fazê-lo de forma integrada, de maneira a oferecer soluções completas para seus clientes, com inteligência estratégica e custo-benefício.

São empresas responsáveis por definir as estratégias e executar projetos comunicacionais tanto para o público interno quanto externo.

Assim, contribuem para a reputação positiva das marcas, realizando a cobertura editorial e obtendo exposição para o negócio.

O que é RP da empresa e suas principais aplicações

Empresas que se interessam pelos serviços de relações públicas podem tanto contratar agências terceirizadas quanto montar o seu próprio departamento.

A escolha depende da estratégia particular de cada negócio.

Contudo, as atribuições não mudam e cabe ao RP conduzir o negócio pelo caminho do sucesso.

Por exemplo, uma boa agência ou profissional de RP é capaz de analisar a organização, obter feedbacks dos clientes e traduzi-los em histórias positivas.

Podemos destacar, ainda, as seguintes atribuições:

  • Elaborar um plano de comunicação de curto, médio e longo prazo
  • Definir as melhores estratégias de comunicação da marca
  • Mapear e engajar os públicos estratégicos da empresa
  • Monitorar o comportamento desses públicos
  • Divulgar as mensagens-chave da empresa e gerar mídia instantânea
  • Trabalhar a imagem positiva da marca
  • Gerenciar conflitos e crises
  • Produzir eventos especiais criados para divulgação pública e relações com a mídia
  • Elaborar e analisar pesquisas de opinião que ajudem a criar ou otimizar as estratégias comunicacionais.

Existe diferença entre Relações Públicas e Publicidade e Propaganda?

Imagem de um megafone em destaque um notebook e documentos, ao fundo
Existe diferença entre Relações Públicas e Publicidade e Propaganda?

Por estarem sob o mesmo guarda-chuva (a comunicação social), publicidade e relações públicas guardam semelhanças, mas não executam as mesmas funções.

As duas estratégias têm papéis complementares para levar uma marca a atingir seus objetivos comunicacionais.

De um lado, temos a publicidade, focando em instigar potenciais clientes a escolher o produto oferecido pela empresa ao invés da concorrência.

De outro, temos as atividades de RP, construindo e mantendo um bom relacionamento com as partes interessadas da empresa e melhorando sua reputação.

Para a propaganda, a empresa paga pelo espaço do anúncio. E, justamente, por estar pagando por esse espaço, tem controle criativo sobre o que entra nesse anúncio e sabe exatamente quando ele será veiculado.

Já com as relações públicas, o trabalho é diferente.

Aqui, os profissionais buscam obter publicidade e exposição gratuita para a empresa, fazendo uso de “armas” como a participação em conferências de imprensa, organização de eventos e divulgação de press releases.

Só não há garantia, por exemplo, de que a mídia se interessará por essas ações.

Outro ponto é que no caso da publicidade, os consumidores sabem de cara quando estão lendo um anúncio que está tentando vender algo.

Já nas relações públicas, o impacto é mais sutil, mas não menos valioso.

Toda e qualquer marca tem o compromisso de entender o que as duas áreas podem oferecer a ela na permanente disputa pela preferência do consumidor.

Inclusive, não é preciso escolher entre uma estratégia e outra, mas uni-las em um esforço completo, como acontece em campanhas de comunicação integrada.

Conclusão

Neste artigo, apresentamos um guia completo sobre a área de relações públicas, que se vale de técnicas e ferramentas para construir ou melhorar a reputação de marcas e aproximá-las de seus stakeholders.

Vimos que isso costuma ser feito a partir de interações através da mídia, obtendo publicidade e exposição gratuita para a empresa.

O potencial da área explica porque a carreira em RP tende a ser promissora.

Os desafios são muitos, mas as oportunidades também.

Ganham as empresas, que se posicionam no mercado de forma mais positiva.

E também os talentos, que podem ser reconhecidos por sua habilidades de comunicação corporativa.

Restou alguma dúvida sobre o assunto ou gostaria de dar a sua opinião sobre o tema? Deixe um comentário abaixo.

Aproveite e também compartilhe este conteúdo em suas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *