Posted in:

Turismo sustentável: o que é, quais os objetivos e 11 exemplos de destinos

Várias bicicletas em um estacionamento de bicicletas

Você tem ideia do que significa o termo turismo sustentável?

É aquele tipo de atividade turística que preza pelo cuidado ao meio ambiente e aos recursos naturais.

Com isso, garante e satisfaz necessidades presentes e para as futuras gerações, sem deixar de se preocupar com o crescimento econômico de determinada região.

Basicamente, por meio da sustentabilidade, uma palavra muito em voga nos dias atuais.

É como se parte da população mundial começasse a sentir a consciência pesada por tantos anos de ataques sucessivos ao meio ambiente e aos seus ecossistemas.

Nunca se falou tanto de preservação da natureza e de espécies nativas.

A não poluição de rios e mares também é um assunto recorrente.

Inclusive, com campanhas para acabar com canudos plásticos que tanto poluem e atrapalham a qualidade de vida, principalmente de animais aquáticos.

No entanto, essa onda verde não pode ser passageira.

Investir em turismo sustentável é uma ótima forma de incentivar atividades ecologicamente corretas.

Também contribui para conscientizar a população da importância de cuidarmos bem do meio ambiente, como veremos ao longo deste artigo.

Se o assunto é do seu interesse, siga a leitura!

O que é turismo sustentável?

turismo sustentável, Luminária em cima de uma mesa, iluminando mapa-múndi
O que é turismo sustentável?

O turismo sustentável é um conceito que agrega a preocupação com o meio ambiente, com a sociedade e com a economia à agenda turística.

Não se trata apenas de conhecer um lugar novo, de curtir uma hospedagem ou de fazer programas voltados a experiências diferentes, mas de inserir esses três pilares na proposta.

O primeiro diz respeito aos cuidados com o meio ambiente em si.

Por exemplo, a diminuição do consumo de carnes e as consequentes emissões de CO².

Já o pilar econômico se refere ao incentivo às atividades locais.

Por exemplo, ao visitar determinada cidade, é preferível hospedar-se em uma pousada genuinamente nativa, em vez de em uma franquia de hotel multinacional.

E, por fim, o pilar social está relacionado ao respeito à cultura, à tradição e aos costumes da comunidade a ser visitada.

Demonstrar interesse às histórias contadas pelos nativos é uma boa maneira de começar a construir uma relação saudável, tanto com eles quanto com o local em si.

Turismo sustentável no Brasil

Com suas belezas naturais, fauna e flora exuberantes e a maior floresta tropical do mundo, a Amazônia, o Brasil é um destino imperdível para fazer turismo sustentável.

Tanto é verdade que, em 2016, o Ministério do Turismo lançou o Guia da Sustentabilidade, com o intuito de estimular a adoção de práticas sustentáveis em atividades turísticas nacionais.

O documento não é a única iniciativa nesse sentido.

Há programas como o Passaporte Verde, o Proecotur Amazônia e o Xingu Sustentável que também se destacam.

De todos os projetos, no entanto, talvez o mais inovador seja o Mapa de Turismo Sustentável.

Ele consiste em um site interativo que possibilita uma viagem por todo o território nacional.

Apresenta trabalhos vencedores do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade, organizado pela Associação Brasileira de Operadoras de Turismo, com apoio da Organização Mundial do Turismo (OMT).

Mas nem tudo são flores e, apesar de investir no turismo sustentável, o Brasil ainda tem muito a melhorar.

Segundo o levantamento “Sustainable Tourism Index: enhancing the global travel environment”, que avalia o compromisso com o desenvolvimento e promoção de práticas sustentáveis no turismo, o país aparece na sétima posição entre dez nações analisadas.

O estudo é feito pela revista The Economist.

O Brasil ficou atrás de França, Alemanha, Reino Unido, Estados Unidos, Japão e Índia, e à frente de China, Indonésia e Egito.

Vale ressaltar que a pesquisa levou em conta 19 indicadores qualitativos e quantitativos, relativos a cinco categorias, para montar o ranking: cenário político, sustentabilidade ambiental, sociocultural e econômica e indústria do turismo.

Conforme esses critérios, o Brasil teve um desempenho satisfatório no impacto e na performance ambiental.

Também foi bem na avaliação da qualidade do ar, no uso consciente de água, na boa prática esportiva, na baixa emissão de CO² por dólar do PIB e no crescimento do turismo.

Por outro lado, os pontos que deixaram a desejar dizem respeito às crises política e econômica, à elevada violência e à infraestrutura turística precária.

Também são características negativas o baixo investimento em turismo, a política ineficaz de atração de turistas estrangeiros, a baixa segurança pessoal e as complicações para a abertura de licenciamentos para operadoras de turismo.

Objetivos do turismo sustentável

turismo sustentável, Homem, em um barco, lançando rede de pesca ao mar
Objetivos do turismo sustentável

Recentemente, a Organização das Nações Unidas (ONU) designou 2017 como o Ano Internacional do Turismo Sustentável para o Desenvolvimento.

O objetivo? Mostrar que todos nós temos um papel importante na preservação ambiental, no fortalecimento da economia local e no respeito aos valores sociais das comunidades.

Esses são, justamente, os três pilares do turismo sustentável e, por assim dizer, as principais metas do segmento.

Ao colocar em prática os três fundamentos, você não apenas estará ajudando a vivermos em um mundo mais equilibrado, respeitoso e saudável, mas também garantindo que as gerações futuras possam ter esses mesmos direitos.

Caso contrário, ao repetir atitudes nocivas, os próximos habitantes da Terra só vão conhecer as belezas naturais e as tradições dos povos por meio das histórias contadas em livros e documentários.

Importância do turismo sustentável

O turismo sustentável é importante justamente por isso: mostrar para as pessoas que é possível, sim, divertir-se e desfrutar plenamente de uma viagem sem causar nenhum mal à natureza ou ao ecossistema do destino escolhido.

Além disso, a modalidade serve como alternativa ao turismo de massa, preocupando-se com o impacto que um número grande de visitantes pode oferecer ao local em questão.

Mas, mais do que tudo, a opção de um turismo sustentável serve para que todos nós tenhamos a consciência da nossa participação para uma realidade mais próspera e bela.

É muito válido e bonito saudar estabelecimentos que utilizam energias limpas.

No entanto, se você, enquanto está hospedado em um resort, não economizar no banho, sua posição ficará apenas do discurso.

Da mesma forma, não adianta se sensibilizar com um mendigo pedindo esmola para comer no centro de uma grande metrópole se você opta por ficar em um hotel com serviço all-inclusive e deixa comida no prato.

Esses são pequenos exemplos que servem para tocarmos no ponto-chave do turismo sustentável: não são as grandes iniciativas, mas a participação individual que pode fazer a diferença para um futuro melhor.

Diferença entre turismo sustentável e ecoturismo

Quando falamos de turismo sustentável, é comum que algumas pessoas confundam a modalidade com ecoturismo.

Porém, ainda que ambos compartilhem alguns princípios, como o respeito à natureza e a criação de uma consciência de preservação ambiental, eles têm diferenças.

Em primeiro lugar, o ecoturismo propõe um contato mais próximo com o meio ambiente.

Florestas, rios, cachoeiras e passeios aos ar livre costumam fazer parte do roteiro.

Já o turismo sustentável não tem exatamente a ver com o local em si. É perfeitamente possível praticá-lo no meio da selva de pedra, em um centro urbano.

Ou seja, ele tem muito mais relação com as atitudes do que com o destino em si.

Além disso, como já mencionado, o turismo sustentável se baseia nos pilares social/cultural e econômico, além do ambiental. Por outro lado, o ecoturismo foca, quase que totalmente, apenas no último ponto.

Podemos concluir, portanto, que o turismo sustentável é mais amplo do que o ecoturismo.

Fazendo um jogo de palavras, todo ecoturismo tende a ser um turismo sustentável, mas nem todo turismo sustentável é um ecoturismo.

Ações de turismo sustentável

Muita gente associa as ações de turismo sustentável a questões relacionadas ao meio ambiente.

Mas elas vão muito além, conforme os exemplos a seguir:

  • Sempre que possível, escolha se deslocar a pé ou de bicicleta. Para distâncias maiores, opte pelo transporte público
  • Nada de desperdiçar comida. Alimente-se somente do necessário para matar a sua fome
  • Muitos hotéis têm o hábito de lavar as toalhas todos os dias. Não compactue com essa medida. Deixe claro que você não deseja seguir esse protocolo
  • Prefira viajar na baixa temporada. Assim, você não sobrecarrega o destino de sua escolha.
  • Respeite a política local. Sempre pergunte se pode tirar fotos ou interagir com alguma atração turística
  • Opte por consumir produtos típicos da região em que está. Escolha as frutas da estação e peça sugestões da culinária local
  • Incentive o comércio local. Na hora de levar uma lembrancinha, escolha peças de artesanatos de produtores da região
  • Contrate os serviços de guias locais e, se for ao exterior, tente aprender algumas palavras do idioma nativo. São formas de valorizar a cultura da região e criar vínculos
  • Apoie empresas que tenham a responsabilidade social como valor de sua cultura organizacional
  • Utilize caminhos já demarcados em trilhas e passeios na natureza. Nada de sair desbravando por aí
  • Não polua e, se possível, recolha o lixo dos outros
  • Controle o consumo de plástico. Tenha sempre uma garrafa de água retornável consigo
  • Economize na bagagem. Quanto mais leve ela for, menos combustível é gasto
  • Escolha voos diretos e reduza sua emissão de carbono
  • Evite passeios que prometam a interação com animais selvagens. Normalmente, os bichos são dopados para parecerem mais dóceis.

Exemplos de turismo sustentável

Vários barcos atracados em uma praia
Exemplos de turismo sustentável

Que tal preparar a mochila para conhecer destinos incríveis de turismo sustentável?

Separamos 11 exemplos nacionais e internacionais que vão proporcionar a você uma experiência única.

Capriche na foto e boa viagem!

Huilo Huilo, Chile

Essa pequena localidade a caminho da Patagônia é uma reserva biológica de preservação ambiental que retrata bem o conceito de turismo sustentável.

Por lá, as mulheres são responsáveis por produzir toda a decoração dos eco-resorts.

Os guias, também nativos, recebem treinamentos específicos para melhor atender os visitantes.

Fortuna, Costa Rica

A Costa Rica, como um todo, possui cerca de 25% do seu território preservado.

Por isso, é possível encontrar verdadeiros paraísos, como praias, selvas e florestas que pouco foram tocadas pelo homem.

Na localidade de Fortuna, há um dos eco-hostels mais conhecidos do mundo, o Cerro Chato Eco Lodge, localizado ao pé de um vulcão arenal.

Zomba, Malauí

Malauí é uma pequena nação que fica ao sul da Tanzânia e ao norte de Zâmbia, no continente africano.

O diferencial desse destino é que grande parte das hospitalidades são administradas por nativos.

Então, visitar o país africano significa incentivar a economia local.

A nossa sugestão é a cidade de Zomba, que tem belezas naturais de cair o queixo.

Chitwan National Park, Nepal

Considerado um patrimônio da humanidade, o Chitwan National Park tem 932 quilômetros de vegetação nativa preservada e mais uma infinidade de espécies de animais, com destaque para mais de 550 tipos de aves.

Can Gio Mangrove Forest, Vietnã

Localizada na principal centro industrial do Vietnã, essa reserva é um verdadeiro suspiro em meio ao cinza da cidade.

Além disso, a vegetação natural foi plantada logo após a guerra contra os Estados Unidos que durou mais de uma década – ao todo, na verdade, foram quase 20 anos, se contarmos a prévia participação francesa também.

Algumas famílias de pescadores e agricultores vivem no local e tiram dessas atividades e da venda de artesanatos o seu sustento.

Delta do Okavango, Botsuana

É uma bela oportunidade para conhecer duas das espécies mais ameaçadas de extinção: os rinocerontes branco e negro.

O local foi declarado Patrimônio Mundial da Unesco e é um dos únicos deltas do mundo que não deságua no mar.

A vegetação também é incrível, composta por um pantanal quase nunca tocado pelo homem e com uma diversidade impressionante.

Sierra Gorda, México

É região mais rica em biodiversidade do país. No entanto, também passa por sérios problemas e está ameaçada.

Para contornar a situação, uma organização local lançou um sistema de venda de créditos de carbono destinada aos produtos da área.

Assim, os agricultores podem promover pequenos reflorestamentos dentro do complexo.

Bonito, Mato Grosso do Sul

Quem foi que disse que no Brasil não existem opções de turismo sustentável? Existem, sim, e muito.

Um bom exemplo é a cidade de Bonito, no Mato Grosso do Sul.

Além da sua diversidade natural incrível, o destino tem outros elementos que caracterizam bem essa modalidade de turismo.

A preocupação com o impacto que uma quantidade enorme de visitantes pode causar ao ecossistema, por exemplo, é um deles.

Com isso, Bonito criou um modelo único de controle de pessoas que visitam as atrações.

Os turistas recebem um bilhete digital que marca os lugares que eles pretendem visitar, facilitando o planejamento e a organização.

Fernando de Noronha

O arquipélago de Fernando de Noronha também pertence ao Brasil e é uma alternativa única de turismo sustentável.

Assim como Bonito, a localidade exerce um controle rigoroso na entrada de visitantes. Mas as preocupações não param por aí.

A região tem políticas que visam diminuir a emissão de CO², incentivar a coleta seletiva e a utilização de material reciclado nas construções.

Além disso, trabalha a participação massiva da comunidade em projetos ambientais, sociais e culturais.

Reserva Mamirauá, Amazonas

A reserva é sede do Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, o que enfatiza a preocupação com a localidade.

Entre os principais atrativos da região estão os programas diversificados de ecoturismo, que incluem visitas às comunidades ribeirinhas, passeios pelo leitos do Rio Solimões e a busca por animais noturnos.

Lima Duarte e Santa Rita do Ibitipoca, Minas Gerais

As duas cidades dividem a honra de ter em seus territórios o Parque Estadual Ibitipoca.

Assim como outros exemplos trazidos aqui, a administração se preocupa com a proteção do meio ambiente e, por isso, restringe o acesso dos visitantes.

Além disso, boa parte da infraestrutura (aluguel de casas e demais hospedagens) é oferecido pela comunidade local.

O espaço ainda conta uma área de comércio com produções artesanais, mercearias e padarias com produtos típicos do interior mineiro.

Faculdade de turismo

Moça, segurando um mini globo-terrestre e bilhetes de passagens
Faculdade de turismo

Você não precisa estudar turismo para sair viajando por aí e conhecer os quatro cantos do mundo.

No entanto, se o seu objetivo é trabalhar na área, criar roteiros e desenvolver ações sustentáveis, por exemplo, investir na sua capacitação é uma ótima pedida.

O Curso de Graduação em Turismo da UPIS – Faculdades Integradas foi o segundo a ser implantado no Brasil.

Ele se destaca por ter uma grade curricular dedicada a entender os problemas sociais e ambientais de cada região para melhor desenvolver as atividades turísticas locais.

Isso sem falar na disciplina exclusiva de Desenvolvimento Sustentável e Ecoturismo.

A graduação conta com 2.670 horas/aulas e é repleta de conteúdos teóricos e práticos.

Está esperando o quê? Acesse agora mesmo o nosso site, conheça os nossos cursos e tenha a oportunidade de estudar em uma entidade de quase meio século de tradição e compromisso com o ensino de qualidade.

Conclusão

Neste artigo, tratamos sobre um tipo de turismo muito importante: o turismo sustentável.

Uma modalidade que vai muito além das preocupações ambientais, atendo-se também a questões econômicas e sociais/culturais.

Se você quiser que seus filhos, netos e bisnetos conheçam o mundo em que você atualmente vive, precisa fazer também a sua parte.

Caso ainda não tinha o hábito de realizar ações saudáveis em suas viagens – e na sua vida -, esperamos que, agora, essa consciência tenha sido despertada.

Você já conhecia o turismo sustentável? Acredita que outras pessoas também possam se interessar pelo tema? Então, aproveite para compartilhar este artigo com seus amigos, nas suas redes sociais!

Não se esqueça, ainda, de deixar um comentário logo abaixo! Tire suas dúvidas, elogie, critique e sugira temas. Sua participação faz toda a diferença

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *