Posted in:

Gestão de negócios: veja o que faz, o mercado de trabalho e a formação

Gestão de negócios, Gestão de negócios: veja o que faz, o mercado de trabalho e a formação

O sucesso na gestão de negócios depende muito da preparação para que esse resultado seja alcançado.

Seja para alguém que pensa em abrir o seu próprio empreendimento ou um profissional que deseja galgar posições dentro do seu atual emprego, existem conhecimentos a adquirir e habilidades a desenvolver.

Por isso, caso você se encaixe em algum desses perfis, este artigo pode ser de grande ajuda para a sua carreira.

Vamos abordar por aqui o conceito de gestão de negócios, o que um profissional nessa posição faz, as diferentes áreas em que pode atuar, a formação necessária e muito mais.

Desde já, fica a dica de que esse não é um processo pontual, mas contínuo. Ou seja, um bom gestor de negócios está sempre evoluindo e se aperfeiçoando.

Interessado em descobrir tudo sobre o assunto? Então, fique com a gente e boa leitura!

O que é gestão de negócios?

pessoas em reunião de gestão de negócios
O que é gestão de negócios?

A gestão de negócios é um segmento dentro da administração de empresas que tem como principal missão coordenar as estratégias organizacionais e direcionar o empreendimento em direção aos seus objetivos.

Até por isso, os profissionais que atuam nessa posição não ocupam apenas o cargo de CEO, lidando com questões de nível macro e observando o negócio de uma maneira mais ampla e geral.

É também isso, mas muito mais.

O que acontece é que eles assumem posições nos mais diferentes setores vitais de uma empresa, o que inclui recursos humanos, projetos, logística, processos, vendas, marketing, finanças e contabilidade e por aí vai.

Afinal, para que os resultados desejados sejam alcançados, é preciso ver todas as áreas de forma integrada, dentro de uma mesma estratégia.

Cabe à gestão de negócios, portanto garantir que se cumpra aquela velha metáfora das engrenagens ajustadas que, juntas, asseguram o pleno funcionamento da máquina.

Gestão de negócios X administração

Gestão de negócios e administração, apesar de serem conceitos semelhantes, não são sinônimos.

Enquanto a segunda trata essencialmente de processos técnicos, racionais e de nível gerencial, a primeira lida com o capital humano e com a importância de valorizar a participação coletiva para a obtenção dos objetivos.

Você pode alegar, e com razão, que o papel do administrador atualmente vai muito além da preocupação com os números e se estende a todos aqueles que fazem a empresa no dia a dia.

De fato, é assim mesmo. E, quando acontece dessa forma, significa que o administrador está atuando como um verdadeiro gestor de negócios, uma posição muito mais próxima das novas exigências do mercado.

Em uma metáfora com o corpo humano, podemos dizer que a administração corresponde ao cérebro e a razão de um empresa, enquanto a gestão de negócios tem um pouco de coração e das emoções.

Ou se preferir, a administração é a matemática, a lógica e os números. E a gestão é a relação entre as pessoas, a imprevisibilidade e as palavras.

Gestão de negócios X inovação

De maneira bem simples, podemos dizer que a gestão de negócios nada mais é do que uma reformulação, uma nova roupagem para o conceito de administração de empresas.

Ou seja, seus princípios estão, diretamente, ligados com a inovação e a criatividade.

Quem está entrando no mercado agora ou quem já está há algum tempo mas segue buscando um diferencial competitivo frente aos concorrentes precisa de quê?

De algo novo, inédito ou mal explorado.

Não significa, necessariamente, criar algo do zero, mas ter um pensamento inédito para um problema que já existe.

Afinal, as grandes ideias deixam aquela pulga atrás da orelha: “Poxa, como foi que não tive essa sacada antes.”

Além disso, o critério inovação pode fazer parte da cultura organizacional da sua empresa e ela nem precisa ser uma startup para tal.

Ao buscar sempre estar um passo à frente das suas rivais, o seu negócio vai se destacar nos mapas de oportunidades e ameaças, por exemplo.

Unindo gestão e inovação, você fica mais perto de cumprir as metas traçadas.

Mercado de trabalho de gestão de negócios

Pessoas em reunião de gestão de negócios
Mercado de trabalho de gestão de negócios

Como quase todos os ramos, a gestão de negócios possui um mercado de trabalho competitivo.

Por isso, cabe ao profissional investir em capacitação e atualização para alcançar destaque frente à concorrência.

Algo precisa chamar a atenção dos recrutadores em meio a uma montanha de currículos.

As características presentes no seu perfil profissional, por exemplo, podem ser um bom começo.

Perfil dos profissionais

Quando falamos do perfil dos profissionais de gestão de negócios, ele deve ser do tipo dualista.

Ou seja, dependendo da situação, deve adotar uma determinada postura e, em um contexto diferente, outra completamente oposta.

Confira os exemplos:

Visionário/realizador

Um gestor de negócios deve ser um profissional visionário, à frente do seu tempo, que antevê problemas e que sempre tem a solução personalizada ideal para cada situação.

Por outro lado, também precisa colocar a mão na massa e descascar os abacaxis que surgem no dia a dia.

Afinal, do que adianta um profeta que antecipa os cenários possíveis, mas, na hora H, não sabe como agir?

Rígido/flexível

Muitas pessoas se perguntam se o verdadeiro gestor, o líder positivo, deve ser uma figura mais rígida ou flexível. A resposta é: depende da situação.

Quanto aos seus valores, princípios éticos e morais e também com relação aos prazos estabelecidos, é importante ser firme e manter a sua postura.

Agora, em relação às suas convicções, a flexibilidade é a chave para uma boa gestão.

O gestor tem que ter consciência que não existe verdade absoluta.

É sempre possível aprender com os outros, rever conceitos, se atualizar e compartilhar experiências.

Detalhista/menos apegado

Aquele papo que perfeccionismo é um defeito (algo que boa parte dos candidatos tenta aplicar em processos seletivos) não cola.

E é assim especialmente se você quer se tornar um gestor de negócios eficiente.

Afinal, esse é um cargo que exige atenção aos mínimos detalhes, conferindo diversas vezes a mesma informação em busca de inconsistências e assegurando que nenhum balanço está com dados errados ou faltantes.

No entanto, é preciso ser um perfeccionista seletivo. Ou seja, se ater ao que realmente importa e não perder tempo com minúcias que não fazem a menor diferença para alcançar os objetivos.

Assim, o profissional vai conseguir ter uma gestão de tempo assertiva, reservando seus minutos preciosos apenas para situações que agregam valor.

Formal/simples

Ser gestor significa assumir uma posição que exige certa formalidade.

Você não vai se dirigir aos seus subordinados e demais colegas como se eles fossem amigos curtindo um happy hour no bar da esquina, ainda que uma boa dose de descontração possa a vim a calhar para amenizar o clima organizacional.

Mas sempre há o momento certo para adotar uma abordagem mais próxima do colaborador, como na hora de passar um feedback construtivo.

Nesse caso, uma crítica transmitida de maneira menos agressiva pode soar mais reconfortante para quem recebe.

Aqui, no entanto, é importante não confundir delicadeza e empatia com enrolação.

Vá direto ao ponto, mas se coloque no lugar do outro, considerando como você gostaria de receber um puxão de orelha do seu superior.

Com autonomia/adepto ao trabalho em equipe

Um bom gestor não pode ter medo de assumir responsabilidades.

Afinal, tomar decisões é algo inerente ao seu cargo.

Portanto, esse profissional não pode se esconder e deve se colocar em posição de comando sempre que uma situação adversa apareça.

Isso não quer dizer, no entanto, que um líder deve fazer tudo sozinho. Muito pelo contrário.

Entre as suas principais características, está a capacidade de delegar tarefas e de acreditar no potencial da sua equipe.

Para ter sucesso nessa missão, ele precisa conhecer seu time como ninguém, para identificar quais membros estão mais preparados para assumir determinados compromissos, e, especialmente, incentivar a participação coletiva nos processos decisórios.

Ainda que a última palavra seja sua, é importante deixar claro aos colaboradores que eles também possuem voz e que a opinião deles conta para empresa.

Planejador/ter sempre um plano de ação

Planejamento é uma palavra que não pode faltar no dicionário de qualquer gestor de negócios.

Isso porque essa liderança nunca deve ser pega desprevenida, tendo uma estratégia alternativa para qualquer situação.

Um profissional nessa posição não pode temer aplicar um plano de ação.

Afinal, é nesse momento que ele vai comprovar se toda a organização prévia foi bem pensada ou não.

O segredo é sempre ir em busca do equilíbrio, portanto.

Cada momento exige um posicionamento específico e um bom gestor de negócios deve dominar todos eles.

O que faz um profissional de gestão de negócios?

Pessoas em reunião de gestão de negócios
O que faz um profissional de gestão de negócios?

Essa é uma pergunta de resposta ampla.

Estamos falando de um profissional multifacetado, que assume diferentes funções e responsabilidades dentro de uma empresa.

Para você ter uma ideia melhor, listamos abaixo algumas das principais atribuições de um gestor de negócios (observe como são muitas):

  • Liderar e desenvolver habilidades em sua equipe
  • Delegar tarefas e estipular prazos
  • Definir metas e montar planos de ação
  • Estabelecer estratégias e procedimentos
  • Determinar a prioridade de alocação de recursos
  • Promover eventuais mudanças organizacionais
  • Realizar feedbacks e avaliações de análises de desempenho
  • Definir métricas confiáveis para mensuração
  • Administrar conflitos organizacionais
  • Organizar a melhor estrutura de cadeia produtiva possível
  • Fornecer subsídios para o desenvolvimento sustentável da organização

Onde o profissional pode trabalhar

Como já destacado neste artigo, um gestor de negócios atua em diferentes frentes dentro de uma empresa.

Assim, pode realizar todas as atividades já citadas e assumir funções estratégicas em setores vitais, como os que iremos relacionar agora.

Gestão de pessoas

Trabalhar no setor de recursos humanos é uma das maiores responsabilidades de um gestor.

Afinal, você está lidando com o principal ativo da empresa: os colaboradores, propriedades intelectuais e braçais de qualquer negócio.

Cabe ao profissional de gestão de pessoas estabelecer mecanismos que valorizem os profissionais, garantindo a sua motivação e o seu engajamento, para que possam trabalhar em prol das metas traçadas.

Gestão de projetos

O gestor é responsável por oferecer os subsídios necessários para que as metas sejam cumpridas dentro do prazo determinado e com os custos aprovados.

Esse é um importante setor dentro da área de planejamento e estratégia, sobre a qual falaremos logo mais à frente neste artigo.

Gestão de finanças

Sem controle do dinheiro, uma empresa não pode evoluir e, pior do que isso, corre o risco de falir em pouco espaço de tempo.

Por isso, o gestor de finanças carrega uma responsabilidade muito grande em suas ações.

Afinal, é através delas que a empresa tem um indicativo claro sobre como estão as suas economias.

Esse profissional também se responsabiliza pelo orçamento da organização.

Assim, estabelece quais são os gastos prioritários, quais cortes podem ser feitos, que banco ou investidor oferece crédito com juros mais baixos e ainda o que deve ser feito com o lucro obtido.

Gestão de planejamento e estratégia

Aqui, estamos falando sobre o cérebro da empresa.

Qualquer decisão, por mais singela que pareça, deve passar pela gestão de planejamento e estratégia.

Muitas pessoas associam, de maneira equivocada, esse setor aos gabinetes de crise.

De fato, ele assume um protagonismo importante em momentos de dificuldades, mas, da mesma maneira, serve para traçar diretrizes e ações em períodos de crescimento.

Gestão de vendas

Sem vender, nenhum negócio vai adiante.

Um gestor de venda precisa analisar se as estratégias e os canais utilizados são os mais corretos, de acordo com o perfil do seu público-alvo.

Também se os vendedores estão usando técnicas adequadas de conversão, se o pós-venda está sendo bem executado, entre outras preocupações.

Gestão de marketing

A propaganda é a alma do negócio. E, sem um marketing ativo, não há publicização da marca, nem dos produtos e serviços oferecidos.

O gestor desse departamento é responsável por, entre outras coisas, se relacionar com os clientes, estabelecendo e fomentando canais de interação e ferramentas de fidelização.

Sob a batuta do setor financeiro, também exerce um papel importante na busca de recursos, como patrocinadores e divulgação em mídias tradicionais ou digitais.

Cursos de gestão de negócios

 

 

Se você deseja se tornar um profissional eficiente na gestão de negócios, todas as dicas que conferiu até aqui vão ajudar.

Mas, sobretudo, é necessário investir na sua formação para chegar à alta performance e atingir os resultados esperados.

No mercado, existem diversas opções de formação, como cursos técnicos, profissionalizantes, graduação, especialização e até MBA.

Há também modalidades de ensino a distância, que oferecem mais praticidade aos estudantes.

Com tantas possibilidades, o mais importante ao escolher o seu curso de gestão de negócios é ficar de olho na reputação da instituição.

A UPIS – Faculdades Integradas possui uma tradição de quase meio século, com compromisso de um ensino de qualidade.

Não à toa, é uma das poucas universidades do país com cursos de graduação e pós-graduação com certificação internacional de qualidade, o ISO 9001.

Como alternativa, a UPIS oferece o MBA Executivo em Gestão de Negócios.

É uma formação exclusiva, com foco em profissionais que almejam ocupar cargos de liderança, atualizar seus conhecimentos e levar suas organizações a alcançarem resultados consistentes.

O que se estuda em gestão de negócios?

Ao iniciar um curso de gestão de negócios, você vai se deparar com temas comuns à rotina produtiva e ao dia a dia das empresas.

Tudo para que, no momento oportuno, possa lançar mão dos conhecimentos obtidos e tirar de letra os desafios que fatalmente vão surgir.

Você vai estudar, por exemplo, a estrutura organizacional para conhecer cada detalhe da sua empresa e saber usar a visão sistêmica.

Vai ser apresentado a métodos de tomada de decisão e indicadores de desempenho organizacionais, para que suas escolhas possam ser mensuradas por parâmetros confiáveis, trazendo os resultados esperados.

Também vai aprender sobre cadeia produtiva para, então, saber montar boas estratégias de logística, negociar com fornecedores, escolher as formas de transporte mais efetivas e econômicas, além de conhecer as diferentes formas de organizar um estoque.

Somam-se a esses saberes, conhecimentos de contabilidade para saber interpretar o fluxo de caixa e honrar os compromissos fiscais e trabalhistas do negócio.

Também noções de marketing para conquistar e fidelizar clientes.

Ainda princípios de comunicação interna para passar feedbacks e dialogar de maneira mais assertiva.

Observe que a formação em gestão de negócios é tão abrangente quanto a atividade em si, permitindo uma visão macro para conduzir uma empresa ao sucesso.

Isso fica claro também ao observar a grade curricular do curso.

Grade curricular de gestão de negócios

No curso de MBA em Gestão de Negócios da UPIS, você vai ter acesso a uma gama de disciplinas variadas, que vão oferecer todos os subsídios necessários para fazer a diferença nesse mercado de trabalho tão competitivo.

Confira a grade curricular completa:

  • Formação de líderes
  • Marketing estratégico
  • Pesquisa de mercado
  • Gestão de projetos
  • Estratégia e inovação em negócios
  • Empreendimento e novos modelos de negócios
  • Gestão de operações de alta performance
  • Governança, compliance e risco
  • Análise de cenários econômicos
  • Fundamentos da gestão financeira.

Tempo de duração do curso

Como lembramos antes, os cursos de gestão de negócios variam em suas cargas horárias, dependendo, inclusive, do grau de formação.

Pelo MEC, os cursos de pós-graduação stricto sensu, caso do mestrado e do doutorado, tem duração mínima de 12 meses (mestrado profissional) e máxima de 42 meses (doutorado).

Já as modalidades de pós-graduação lato sensu, caso do MBA em Gestão de Negócios da UPIS, por exemplo, deve ter carga horária mínima de 360 horas, que, por sinal, é a duração do curso em questão.

Conclusão

Como vimos neste artigo, a gestão de negócios requer muito conhecimento, atualização frequente e capacitação.

Por isso, se deseja investir nesse ramo, precisa buscar a formação ideal, que o capacite a ser um profissional realizado com a sua carreira.

Aproveite para visitar o site da UPIS e conhecer todos os nossos cursos.

Além do já destacado MBA Executivo em Gestão de Negócios, você pode se interessar pela graduação em Administração ou em Ciências Econômicas, além de especializações diversas.

Seja qual for a sua escolha, a UPIS é sua parceira para conduzir sua carreira e as empresas sob seu comando ao sucesso.

Se o artigo foi útil, compartilhe. Deixe seu comentário abaixo com uma dúvida ou opinião sobre o tema que acabou de ler.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *